Salvador

Mais uma servidora da Sucom é presa por fraudes com licenças ambientais

Servidora foi presa em São Paulo pelo Gaeco paulista e pela Polícia Federal e chega em Salvador hoje

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Foi presa no final da noite de ontem (26), a última servidora da Secretaria de Urbanismo de Salvador (Sucom) que tinha mandado em aberto na operação Verde Limpo, do Ministério Público Estadual (MP-BA) e da Polícia Civil. Berti Goulart, que atuava no setor de licenciamento ambiental, foi presa em São Paulo com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas de São Paulo (Gaeco-SP) e da Polícia Federal.


Na quarta-feira (25), outros quatro mandados de prisão foram cumpridos. Foram presos de forma temporária e estão no Complexo da Mata escura os também servidores Vânia de Oliveira Coelho e Antônio Carlos Carvalho e os empresários Marcos Carvalho Silva e Rafael Oliveira Barreto.




A servidora foi presa em São Paulo e deve ser conduzida hoje para Salvador
(Reprodução: Facebook)


Em nota, o MP apontou que a servidora pública  é uma das envolvidas em um esquema criminoso que causou danos ao patrimônio público do Município de Salvador através de fraudes em processos de licenciamentos ambientais e de autuações ilegais. O esquema de fraudes em licenciamentos ambientais e cobrança de propina funcionou dentro da antiga Secretaria Municipal de Transporte e Urbanismo (Semut), que foi recém-incorporada à Sucom. De acorda com o Diário Oficial do Município (DOM), na edição do dia 04 de abril de 2013, Denise Berti Goulart foi nomeada para exercer o cargo em comissão de Subcoordenadora Central da Subcoordenadoria Central de Monitoramento e Fiscalização Ambiental na Semut. Ela chegou a responder pela Diretoria Geral de Licenciamento e Fiscalização Ambiental, no mês de agosto, no período de afastamento do titular.

Correio24horas