Salvador

Manifestantes cantam 'parabéns' pelo 1º ano de desmoronamento do Centro de Convenções

Ato pede manutenção do equipamento na região do bairro do Stiep

Amanda Palma e Bruno Wendel, Redação Correio 24h (amanda.palma@redebahia.com.br)

Com direito até a bolo, manifestantes cantaram 'parabéns a você' na manhã deste domingo (24) em frente ao Centro de Convenções da Bahia (CCB), no bairro do Stiep. A ação acontece um dia após o “aniversário de desmoronamento parcial” do equipamento. 

O grupo defende que o CCB não mude de local, principalmente por ser um vetor socioeconômico para a região do Stiep, Jardim Armação, Boca do Rio e adjacências. O ato reúne moradores da região além de políticos e representantes do trade turístico. 

Durante o ato, manifestantes soltam balões brancos e abraçam o equipamento pedindo ao governo do estado que mantenha o CCB no Stiep. 

Veja vídeo:

Na manhã deste domingo (24) o governador Rui Costa negou a possibilidade de manuntenção do CCB na região do Stiep. Questionado sobre o assunto ele afirmou que a decisão de mudar o equipamento para outra área de Salvador já está decidida. "A decisão está tomada.  A condição melhor para o Centro de Convenções é no Comércio, mas até agora não temos decisão das áreas possíveis e nós iniciamos o processo para levar ao Parque de Exposições", afirmou o governador que participava de ato de entrega de casas do Parque São Bartolomeu.


(Reprodução: Luiz Fábio/ iBahia)
O governador destacou que questões naturais como o salitre favorecem que o CCB saia de vez do Stiep. "Aquela área do Stiep é uma área desde quando foi construída que ali é de forte salitre. Ou seja, aquela área é a maior concentração de salitre na Bahia e uma das maiores do Brasil. Ali não tem condições técnicas e viáveis de ter o equipamento e não foi só o centro de Convenções. Aquele shopping que já existiu ali (Aeroclube) foi à falência e mostrou que não se sustenta pelo nível de salindade e o Estado não vai construir mais nada ali.  Qualquer construção tem que ser como residências . Nós vamos desmontar e licitar. Se houver tempo será do Comércio caso contrário Serra no Parque Exposições", reafirmou o governador ao CORREIO. 

Cadê o laudo?

Passado um ano, ainda não houve a divulgação do laudo que pode esclarecer a causa do acidente e a situação atual da estrutura. Além disso, o governo do estado, responsável pelo espaço, já anunciou que pretende desativá-lo completamente e construir um novo equipamento no Parque de Exposições.     

No último dia 6, uma audiência foi realizada pela 34ª Vara do Trabalho de Salvador, responsável por determinar a penhora do imóvel e por suspender obras no local em novembro de 2016. Com isso, o leilão do atual terreno, anunciado pelo governo do estado, não pode acontecer.

(Reprodução: Luiz Fábio/ iBahia)
Como resultado, a audiência abriu a possibilidade de o governo poder voltar a realizar obras de reparo na estrutura. O perito nomeado para verificar se manter o imóvel sem obras poderia comprometer a estrutura ou se havia risco de desabamento, Helder Araújo Andrade, pediu destituição do caso.

Ele afirmou que buscou contratar um especialista na área de estruturas metálicas, alicerce utilizado no equipamento, para que o profissional acompanhasse a perícia e emitisse um parecer específico, e não conseguiu. “Há uma necessidade de um acompanhamento de um especialista na área de estruturas metálicas para que este, em sua especialidade, realize as devidas análises e cálculos estruturais para melhor conclusão e auxílio do Juízo e resolução da problemática”, disse.