Salvador

Metrô de Salvador: os bastidores de quem leva mais de 350 mil pessoas por dia

O portal iBahia andou de metrô ao lado da uma operadora de trem e conheceu o centro de operações da CCR

Isadora Sodré (isadora.sodre@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Quando a Linha 1 do metrô, operada pela CCR Metrô Bahia, que liga a estação Lapa à estação Pirajá, foi inaugurada comercialmente no dia 2 de janeiro de 2016, ninguém ainda imaginava que este meio de transporte iria reger a mobilidade urbana de Salvador em tão pouco tempo. No dia da inauguração eram contabilizados cerca de 60 mil passageiros por dia. Hoje, o número chega, em média, a 350 mil pessoas transitando diariamente entre as vinte estações distribuídas em duas linhas.

As vinte estações do metrô recebem uma média de 350 mil passageiros por dia (foto: divulgação)
Diante do grande número de passageiros que utilizam o metrô para se deslocar na capital baiana e da quantidade de trens, o sistema de controle de operação deve ser proporcionalmente rigoroso, seguro e amplo da mesma maneira.

O portal iBahia visitou a sede da CCR Metrô Bahia, localizada em Pirajá, para conhecer alguns detalhes do sistema que rege os trinta e cinco trens que entram em operação diariamente para suprir a demanda de deslocamento da população de uma ponta a outra da cidade. 

O painel de Centro de Controle Operacional (CCO) surpreende: são dezenas de câmeras que registram em tempo real a movimentação de todas das estações, dos trens às passarelas. Além disso, há informações de todos os tipos sistematizadas para sinalizar e autorizar a saída e a chegada dos veículos nos terminais, tudo para garantir a segurança dos passageiros e dos colaboradores.
Em todas as passarelas, estações e trens há câmeras e monitoramento 24h (foto: Isadora Sodré/iBahia)
Se houver alguma necessidade emergencial (caso alguém caia na linha do trem, por exemplo) o CCO é prontamente acionado: seja por um funcionário ou um pelo cliente quando aperta um botão de emergência que todas as 20 estações possuem.

Segundo Leonardo Balbino, coordenador de atendimento da CCR Metrô Bahia, existem funcionários trabalhando durante 24h no centro de operações e que, apesar do sistema encerrar o funcionamento às 00h para a população, equipes realizam manutenções e serviços durante esta 'janela de tempo'.

"Na madrugada temos veículos de manutenção circulando, pessoas entrando na via e tudo precisa de autorização da coordenação, pois é através da CCO que controlamos a rede elétrica e as demais funções para que as pessoas possam trabalhar neste período", disse.

E quando acontece alguma demanda emergencial durante o funcionamento comercial do metrô? Balbino contou que existe uma equipe chamada 'SUAT' (Serviço de Urgência e Atendimento Técnico) , uma feliz coincidência com o nome equipe de polícia especialidade dos EUA, porém elas resolvem o que precisam quando o atendimento é solicitado.

"Elas estão alocadas em diversos pontos das linhas e é a primeira equipe que presta atendimento. Eles conhecem um pouco de tudo e agem de maneira rápida para restabelecer a operação até que outra equipe chegue e resolva definitivamente o problema", explicou o coordenador.

E dentro de um trem? Como a operação funciona?
Além da visita ao CCO, o portal iBahia também pode seguir ao lado da operadora em uma viagem da estação Pirajá à Lapa. Elizabeth da França Lopes, de 27 anos, é uma das 25 operadoras de trem da CCR Metrô.
Diversos botões e visores reforçam o sistema de segurança dos trens (foto: Isadora Sodré/iBahia)
No painel de controle, dentre tantas botões e visores, o que se pode perceber é que todos os procedimentos giram em torno de reforço de segurança.

"O sistema é praticamente todo aberto (apenas duas estações são subterrâneas), então o operador está lá para atuar em algum caso emergencial. Quando ele aperta o botão de emergência, que está no controle do operador, o trem freia bruscamente e para e todos os veículos daquela área param também", explicou Balbino
No metrô, você atravessa Salvador sem o estresse do engarrafamento (foto: Isadora Sodré/iBahia)
À frente, é possível ver um mundo de trilhos, os bairros de Salvador e a oportunidade de atravessar a cidade sem enfrentar nenhum tipo de engarrafamento em poucos minutos.