Salvador

Motoristas da Uber fazem protesto em Salvador

Manifestação é contra aprovação de projeto de lei que regula os app de mobilidade

Tailane Muniz, do Correio 24h

Cerca de 800 motoristas do aplicativo de tranporte particular Uber realizam na manhã desta segunda-feira (30) em Salvador um protesto contra a aprovação da Projeto de Lei Complementar (PLC) 28/2017, que propõe regular os aplicativos de mobilidade no Brasil.

A carreata saiu do antigo Aeroclube por volta das 9h30, seguiu pela Avenida Otávio Mangabeira (Orla), entrou na Pinto de Aguiar e segue em direção ao Centro Administrativo da Bahia. De lá, irão até o Terminal Rodoviário de Salvador.

Motoristas do Uber protestam contra projeto de lei que regulamenta aplicativos de mobilidade(Foto: Tailane Muniz)

De acordo com a empresa Uber, há 18 mil mostoristas parceiros na Bahia, de um total de 500 mil no país. A empresa não informou número de usuários no estado, apenas no país, onde teriam 17 milhões de usuários que utilizam o aplicativo. Na Bahia, o serviço funciona, por enquanto, apenas em Feira de Santana e Salvador.

De acordo com a organização da mobilização, a ideia é sair em comboio e fazer um buzinaço. Todos os carros estão com os vidros pintados com as frases "Não à PLC 28/2018" e "Sou Uber". A Transalvador informou que os manifestantes ocupam apenas uma faixa da via, mas causam  retenção do trânsito. O protesto é acompanhado por uma viatura da Polícia Militar (PM).

Em nota, a empresa Uber informou que o PLC aumenta a burocracia e diminui a chance de pessoas ganharem dinheiro, ao exigir dos motoristas de aplicativos, por exemplo, que placas vermelhas. A nota acrescenta ainda que a aprovação do PL pode deixar, da noite para o dia, centenas de milhares de brasileiros, motoristas parceiros autônomos, sem uma opção para gerar renda para si e para suas famílias, além de milhões de outros brasileiros sem a possibilidade de deixarem seus carros particulares em casa e compartilharem sua viagem.

"A Uber, a 99 e a Cabify estão sempre abertas para discutir com os parlamentares uma regulação benéfica para as pessoas e para as cidades, garantindo o direito de escolha de todos", diz a nota.