Salvador

Mudanças nas linhas de ônibus de Salvador começam em outubro

Na primeira fase, haverá mudanças nas linhas de 32 bairros da cidade

Redação Correio 24h
- Atualizada em

As mudanças nas linhas de ônibus já tem data certa para começar: 10 de outubro. As alterações vão ser divididas em quatro fases. A primeira vai contemplar linhas de 32 bairros: Alto do Peru, Bom Juá, Capelinha, Fazenda Grande do Retiro, Pernambués, Jardim Brasília, Saboeiro, São Gonçalo, Narandiba, Resgate, Tancredo Neves, Conjunto ACM, Engomadeira, Arenoso, Mata Escura, Sussuarana, Novo Horizonte, Jardim Santo Inácio, IAPI, Pau Miúdo, Santa Mônica, Luiz Anselmo, Vale do Matatu, Conjunto Marback e Stiep.

Nessa primeira fase, a Estação Acesso Norte vai funcionar como uma estação de transbordo, porque o usuário vai poder desembarcar do ônibus e usar o metrô ou pegar outro coletivo que o leve até o seu destino final.


Ao todo, 77 linhas serão afetadas nesse grupo. Segundo o secretário municipal de Mobilidade (Semob), Fábio Mota, a previsão é de que a primeira fase seja concluída em 30 dias, e todas as mudanças na cidade sejam encerradas no dia 31 de janeiro. “A primeira fase é a mais complicada porque inclui um novo modal, com novas linhas que vão ser criadas para atender a demanda”, explica.

A reestruturação das linhas de ônibus é feita com bases em um estudo realizado pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), durante 1 ano e oito meses. Segundo Fábio Mota, as áreas que são consideradas com “falta de atendimento” vão ser contempladas com as mudanças, como São Joaquim e Alto do Peru. No entanto, ele lembra que existem algumas localidades onde existem estações do metrô que são distantes da população e também existe uma dificuldade para que os ônibus regulares cheguem a esses locais.

“O metrô de Salvador foi projetado em diversos locais que são distantes de onde está a população e temos uma dificuldade em colocar ônibus, do ponto de vista geográfico mesmo, como no Bom Juá. Estamos estudando esses casos e talvez seja por meio do STEC, que é o transporte complementar, também presente no projeto de reestruturação”, explica Mota.

Fases de mudanças
Na segunda fase, serão 41 linhas dos bairros Valéria, Castelo Branco, Pau da Lima, Cajazeiras (5, 7/6, 8, 10, e 11), Boca da Mata, Águas Claras, Fazenda Grande (1, 2, 3 e 4), Fazenda Garcia, Macaúbas, Saúde, IAPI, Cosme de Farias, Luiz Anselmo, Engenho Velho de Brotas, Daniel e Brotas. Nesse grupo, se leva em consideração a integração com a linha 1 do metrô.

A terceira fase vai mudar as 25 linhas da Ribeira, Rua Direta, Vila Rui Barbosa, Nordeste, Santa Cruz, Pituba, Boca do Rio e Rio das Pedras. Para esse grupo, segundo a Semob, o foco é garantir a melhoria da frequência das viagens.

A última fase vai ser realizada em 63 linhas da Caixa D'Água, Conjunto Pirajá, Fazenda Grande do Retiro, São Caetano, Periperi, Alto do Cabrito, BoaVista do Lobato, Mata dos Oitis, Pau da Lima, São marcos, Canabrava, Jardim Nova Esperança, Aeroporto, Itapuã, Praia do Flamengo, Mussurunga (1 e 2), Bairro da Paz, Jardim das Margaridas, Barro Duro, Parque São Cristóvão, Cassange, Trobogy e Canabrava.

Integração metropolitana

A partir de domingo (1º), usuários do transporte metropolitano que também usam metrô e ônibus urbano em Salvador pagarão apenas uma tarifa (R$ 3,60) pelo período de 2 horas. A integração completa só valerá para passageiros dos ônibus metropolitanos que entrem no metrô antes do ônibus urbano - ou seja, quem sair de um ônibus metropolitano e logo em seguida entrar em um urbano não terá o benefício.

O acordo foi fechado nesta terça-feira (26) pela prefeitura e pelo governo do estado em reunião realizada no Ministério Público da Bahia (MP-BA).  O acordo também prevê a redução  de 1% da alíquota sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) do combustível utilizado pelas empresas dos ônibus de Salvador. O Termo de Ajuste de Conduta (TAC) será assinado na próxima sexta (29).

Para fazer a recarga do cartão integração do metrô, os usuários podem ir nas bilheterias das 19 estações do metrô que funcionam, diariamente, das 5h à meia noite. Pela CCR, são 18 máquinas de autoatendimento para facilitar a recarga das estações Lapa, Campo da Pólvora, Brotas e Acesso Norte, Flamboyant, Tamburugy, Rodoviária e Mussurunga, e máquinas dispensadoras oferecem cartões já carregados com valores fixos nas estações Lapa, Acesso Norte, Mussurunga e Rodoviária. De acordo com a empresa, até o final do ano haverá máquinas de autoatendimento em todas as estações do sistema.