Salvador

Nas ruas de Salvador: Rappi ganha força e amplia zona de cobertura de delivery

Atualmente, aplicativo de "delivery de tudo" atende 11 bairros da capital baiana

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Depois do seu sucesso em São Paulo, o aplicativo de delivery Rappi iniciou os seus investimentos para chegar até outras cidades brasileiras, como Salvador. Desde maio na capital baiana, o app tem ganhado cada vez mais força e ampliado a sua zona de cobertura com bairros em que são permitidos fazer pedidos.

App Rappi já atende 11 bairros de Salvador (Foto: Divulgação)

Atualmente, o aplicativo atende aos bairros do Stiep, Costa Azul, Pituba, Caminho das Árvores, Itaigara, Federação, Rio Vermelho, Horto, Ondina, Barra e Graça. Ao portal iBahia, Arthur Lindenberg, City Manager da empresa em Salvador, anunciou que até o final do mês os moradores da Vitória e Campo Grande também poderão fazer seus pedidos.

"A gente está com uma taxa de crescimento de 100% ao mês. Nosso crescimento está muito bom, principalmente porque a gente não tinha parceria com nenhum restaurante quando chegamos, e hoje já estamos com mais de 250. A gente está crescendo e isso torna o aplicativo ainda mais forte", afirma o executivo.

Além de comida - que já é tradicional em outros aplicativos -, o Rappi também entrega bebidas 24h, remédios e até compras no supermercado, basta dizer o que quer e onde encontrar que a empresa garante a chegada do produto em até uma hora.

Os pedidos podem ser acompanhados em tempo real pelo usuário no aplicativo, que ainda permite uma interação entre ele o assistente que aceitou a entrega. Já as formas de pagamentos são cartão de crédito ou débito, após a finalização do serviço.

O usuário paga um valor que custa, no mínimo, R$ 6,90 pela entrega - taxa básica para o raio de 3 km do consumidor - e o valor do produto. Os entregadores funcionam em um esquema parecido aos serviços de transporte como Uber e 99.

Início da startup
O Rappi foi lançado em 2015 e ganhou investimentos pelos principais fundos do Vale do Silício. As suas operações iniciaram na Colômbia e chegou ao Brasil em julho do ano passado, em São Paulo. Antes de chegar ao país, a startup se tornou sucesso em Bogotá e na Cidade do México.