Salvador

Nordeste de Amaralina e outro bairro entram na lista de locais com medidas restritivas

Imbuí e Santa Cruz deixam a lista de locais com restrições

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Os bairros do Nordeste de Amaralina e Liberdade passarão a ter medidas regionalizadas mais restritivas e ações de proteção à vida a partir desta sexta-feira (10) e pelo prazo inicial de sete dias. O anúncio foi feito na manhã de desta quarta-feira (08) pelo prefeito ACM Neto, durante a inauguração do sistema de monitoramento que mede a temperatura dos usuários da Estação da Lapa.

No caso da Liberdade, é a segunda vez que o bairro é selecionado para receber as medidas contra a proliferação da Covid-19, que continuam nas localidades de Pernambués, Pau da Lima, Beiru/Tancredo Neves, São Cristóvão, Saramandaia, Cabula VI, Resgate, Fazenda Coutos, Coutos e em partes do Centro (Joana Angélica, Avenida Sete, Dois de Julho, Baixa dos Sapateiros, Rua da Mangueira e Rua Carlos Gomes). Deixam a lista Imbuí e Santa Cruz.

"Essas ações nos bairros têm se mostrado fundamentais para reduzir a taxa de contaminação e ampliar o isolamento social. Por isso, elas vão continuar mesmo quando iniciarmos o processo de retomada das atividades. Uma das regiões mais problemáticas é justamente a de Beiru/Tancredo Neves, onde continuaremos pela quinta semana consecutiva", avaliou o prefeito ACM Neto.
 
Números - No caso do Nordeste de Santa Cruz, já são 360 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia em Salvador, em março. Somente nos últimos 30 dias, foram 263, sendo 91 em sete dias e 12 sepultamentos em cemitérios municipais.

Já na Liberdade, o total de casos soma 738. Nos últimos 30 dias, foram 436, sendo 121 em sete dias. O número de óbitos por Covid-19, incluindo apenas pessoas enterradas em cemitérios municipais, é de 24.


Regras
Em todos os locais com ações de isolamento mais rígidas, os comércios formal e informal devem permanecer fechados, independentemente do tamanho da área. Apenas atividades essenciais podem funcionar, a exemplos de supermercados, padarias, delicatessens, farmácias, açougues, estabelecimentos que utilizam o sistema de delivery (sem retirada no local) e serviços de saúde.

Além disso, os bairros recebem ações de proteção à vida, que envolvem distribuição de cestas básicas para trabalhadores informais e entidades sociais que atuam na região, e de máscaras de proteção para a comunidade. Também são oferecidos testes rápidos para detecção do coronavírus, medição de temperatura, higienização de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e assistência social através do Cras Itinerante.