Salvador

Nunca fez o percurso da Lavagem do Bonfim? Veja quais pontos visitar

Quem decidiu seguir o ditado "quem tem fé, vai a pé" e vai fazer a estreia no percurso, é bom não dispensar protetor solar, um bom tênis e muita água

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Uma história de fé, devoção e...bom preparo físico. Os 265 anos da Lavagem do Bonfim serão comemorados nesta quinta-feira (17). A festa que atrai baianos e turistas, ainda é desconhecida por muita gente. E para quem optou em seguir o ditado "quem tem fé, vai a pé" e vai fazer a estreia no percurso, é bom não dispensar protetor solar, um bom tênis e muita água, já que os termômetros marcam acima dos 32°. E se você gosta de um passeio turístico, aproveita a longa caminhada de 8km entre a Basílica Nossa Senhora da Conceição da Praia e a Basílica do Senhor do Bonfim para conhecer alguns pontos históricos da cidade.

1) Basílica da Conceição da Praia: fica na Rua da Conceição da Praia, no, Comércio. É o local de concentração e saída do cortejo principal até a Igreja do Bonfim. Às 8h está prevista a saída da 6ª Caminhada da Conceição da Praia (Lavagem de Corpo e Alma), do lado da igreja.  A basílica foi erguida  por Tomé de Sousa, na fundação da cidade, em 1549. Uma das maiores demonstrações completas do Barroco no Brasil, a construção tem piso de mármore, em forma de estrelas. Em cima das padieiras, há quadros pintados postos em molduras de madeira de linhas e detalhes de estilo rococó, da época de 1760. A pintura pertence à categoria chamada de "pintura de perspectiva" ou ilusionista, porque procura enganar os olhos do observador com falsa arquitetura e espaço ilusório. A festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia é em 8 de dezembro. A saída da imagem peregrina do Senhor do Bonfim é acompanhada por uma multidão.

Trajeto oficial da Lavagem tem 8km entre os bairros do Comércio e do Bonfim
Foto: Arte/iBahia

2) Feira de São Joaquim: um dos trechos mais populares do percurso da festa é considerada a maior feira do livre do Estado. O local reúne uma enorme área de comércio popular e oferece artigos regionais. A feira fica entre a Baía de Todos os Santos e a Avenida Oscar Pontes, no bairro do Comércio e tem uma área de 35 mil m². Vale uma paradinha para conhecer o local, se refrescar e repor as energias para seguir na "paleta".

3) Igreja dos Mares: fundada em 1871, a Paróquia de Nossa Senhora dos Mares foi construída pelos carmelitas. A atual igreja tem estilo neogótico (eclético), foi construída entre 1930 e 1956. Possui grandes vitrais, rosáceas e interior ricamente decorado, com várias imagens.A igreja fica no Largo dos Mares. A pé, ela fica a cerca de 28 minutos da Basílica do Nosso Senhor do Bonfim (2,2km).

4) Obras Sociais Irmã Dulce: a pouco menos de 15 min da Igreja do Senhor do Bonfim, na Avenida Dendezeiros, no Largo de Roma, estão as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID). Criadas em maio de 1959, as Obras são fruto do trabalho da freira baiana Irmã Dulce, conhecida como 'Anjo Bom do Brasil'. Atualmente, a entidade filantrópica abriga um dos maiores complexos de saúde 100% Sistema Único de Saúde (SUS)  do país, com cerca de 3,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano. São atendidos idosos, pessoas com deficiência, além de crianças e adolescentes em situação de risco no Brasil. 

Foto: Reprodução/ Alberto Maraux
5) Basílica do Senhor do Bonfim: a história da criação da igreja veio de uma promessa Theodózio Rodrigues de Faria, capitão-de-mar-e-guerra da marinha portuguesa, caso sobrevivesse a uma tempestade. A igreja teve suas obras iniciadas em 1746. No ano de 1773 iniciou-se a tradição da lavagem da Igreja, quando os integrantes da "Irmandade dos Devotos Leigos" obrigaram os escravos a lavarem a Igreja como parte dos preparativos para a festa do Senhor do Bonfim, no segundo domingo de janeiro, depois do Dia de Reis.  A Igreja tem a arquitetura em estilo neoclássico e a fachada em rococó, seguindo o modelo das igrejas portuguesas dos séculos XVIII e XIX. E se você curte festa tanto quanto  história e arquitetura, vale acompanhar a chegada do cortejo, das entidades populares e acompanhar a festa no largo da Igreja que foi toda reformada para o evento