Salvador

O que acontece com o óleo retirado das praias baianas?

A cerveja Corona propôs ação de descarte de nove toneladas de óleo

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Em outubro deste ano, a cerveja Corona, junto à Parley for the Oceans, promoveram uma série de limpezas de praia nordestinas, que foram afetadas pelo derramamento de óleo, e recolheram quase uma tonelada de óleo. Nesta sexta-feira (29), a marca propôs mais uma ação de combate à poluição dos paraísos naturais.

Dessa vez, o objetivo é contribuir para o descarte adequado de 9 toneladas de óleo que foram recolhidos no último mês pela população nas praias da Bahia e estão armazenadas nos municípios da região Sul e extremo Sul. Na iniciativa, durante todo o dia, um caminhão de entrega Corona transporta este óleo para um aterro especializado no tratamento e descarte desse material.

"Ao tomarmos conhecimento que ainda havia óleo recolhido pela população e que ele precisaria ser transportado para um local adequado, percebemos que poderíamos continuar ajudando e tomamos a decisão de criar um mutirão. Durante esta sexta-feira, um caminhão de Corona irá percorrer o trajeto até o local de descarte adequado”, explicou Arnaldo Garcia, gerente de projetos de Corona.

“Escolhemos a Bahia por ser o estado de maior extensão litorânea havendo maior risco de contaminação” complementou.

O material recolhido foi entregue em aterro licenciado para descarte de resíduos definido em conjunto com o Inema - Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Nesses estabelecimentos, os resíduos são tratados por meio da técnica de blendagem, que inclui uma série de processos – entre eles a secagem, peneiramento e a mistura com outros resíduos que possuam compatibilidade química para que sejam reutilizados.