Salvador

Ônibus continuam sem entrar no São Gonçalo; rodoviários alegam insegurança

Motoristas e cobradores temem que coletivos sejam incendiados

Redação Correio 24h

Os ônibus continuam sem entrar no bairro de São Gonçalo. Segundo o Sindicato dos Rodoviários, na manhã desta quarta-feira (31), os motoristas e cobradores mantiveram a decisão, alegando insegurança. Eles temem que os ônibus sejam apedrejados ou incendiados. “Os rodoviários disseram que não viram policiamento no local e por isso eles temem a insegurança”, declara Daniel Mota, presidente do sindicato.

Mauro Akin Nassor/CORREIO
A situação persiste deste terça-feira (30), quando um suspeito foi morto em um tiroteio entre policiais e bandidos. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) confirmou o reforço no policiamento no bairro. Informou ainda que até agora não houve nenhum registro de violência na região.

No início da manhã, voltou a circular a informação de que um toque de recolher tinha sido instalado no comércio do São Gonçalo, mas o sindicato negou. “Os estabelecimentos comerciais estão abertos. O problema lá é o transporte público que continua sem entrar por falta de policiamento”, disse Mota.

Já no bairro da Mata Escura, o policiamento é distribuído no pouco mais de um quilômetro de extensão da via principal do bairro. Só no final de linha, o CORREIO encontrou cinco equipes da 48ª Companhia Independente de PM (CIPM/Sussuarana).  Lá, os ônibus circulam normalmente desde o início da manhã.

Desde sexta-feira (26), o policiamento foi reforçado na Mata Escura e Jardim Santo Inácio. A Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do Batalhão de Choque e outras equipes foram deslocadas para o local, após criminosos queimarem um ônibus na região. O incêndio ao coletivo ocorreu a menos de 500 metros do local onde a menina Geovanna Nogueira da Paixão, 11 anos, foi baleada durante incursão da PM. A garota morreu.

Áudio
Logo nas primeiras horas desta quarta-feira na Mata Escura, um áudio circulou através do aplicativo Whastapp. A voz era de um homem ordenando o fechamento do comércio. Ele dizia que era Alan, o Alanzinho, que comanda o Bonde do Maluco (BDM) na região.

A gravação causou pânico. Em contato com a equipe de reportagem do CORREIO, o major Souza Pereira informou que o áudio é falso. De acordo com ele, o verdadeiro Alanzinho gravou e disseminou um áudio negando a ordem para o fechamento do comércio.  

Confrontos

De acordo com a SSP, no último domingo (28) um adolescente de 15 anos, que tinha sido apreendido na sexta (26) com drogas, e que seria integrante de uma quadrilha que atua na região, foi atingido numa troca de tiros com a polícia. Ele foi socorrido para o Hospital Geral Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos.

Com o adolescente e comparsas que fugiram foram apreendidos uma espingarda calibre 12, munições, pinos com cocaína, 96 pedras de crack, um carregador para pistola calibre ponto 40, entre outros materiais.Por meio de nota, a SSP afirmou que as providências para garantir a circulação dos ônibus na Mata Escura e região já foram adotadas.

"O policiamento permanece reforçado pela Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), Rondesp Central, 48ª e 23ª Companhias Independentes de Polícia Militar (Sussuarana e Doron), garantindo a segurança dos rodoviários, moradores e comerciantes da região. Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e da 11ª Delegacia (Tancredo Neves) também atuam na área, com diligências na busca pelos autores dos áudios que circularam, amedrontando a população".

A secretária também confirmou outra morte de um homem não identificado no Retiro, na manhã de terça (30). A autoria e motivação do assassinato ainda é desconhecida