Salvador

PM é acusado de estuprar adolescente durante corrida de Uber em Salvador

Ao entrar no veículo, o policial desviou o caminho para uma localidade da avenida Paralela onde aconteceu o estupro

Redação Correio

O policial militar o Agnaldo Alves, lotado na 19ª Companhia Independente da Polícia Militar (Paripe), é suspeito de ter estuprado uma adolescente de 17 anos enquanto ele conduzia a jovem em seu carro, onde ele também trabalha como Uber. 

O caso aconteceu no dia 25 de outubro por volta das 18h quando a adolescente solicitou uma corrida pelo aplicativo no bairro da Sussuarana, onde estava na casa do namorado. Ao entrar no veículo, segundo a jovem relatou à polícia, o PM desviou o caminho para uma localidade da avenida Paralela onde aconteceu o estupro. 

Em nota, nesta terça-feira (07), a PM, por meio da Corregedoria, informou que instaurou um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar o envolvimento do policial militar acusado de violentar a jovem. "Assim que recebeu a denúncia através da corregedoria da corporação, a 19ª CIPM, unidade na qual o militar é lotado, afastou o soldado das atividades operacionais enquanto transcorre a investigação. A PM faz apuração na esfera administrativa e o resultado do PAD pode implicar até na demissão do milita", destacou a PM, em nota. 

A Uber informou que baniu o motorista do aplicativo após a acusação. “Este tipo de comportamento é absolutamente intolerável e o motorista já foi banido da plataforma. A Uber está em contato com a família da vítima para oferecer  assistência e se colocou à disposição para colaborar com autoridades no curso das investigações”, destacou. 

O caso também está sendo investigado pela Polícia Civil.

Tags: PM, Uber, Corrida, salvador