Salvador

Policiais presos são acusados por comerciante de extorsão mediante sequestro

Eles são acusados por vendedores de cestas básicas, mascates da região da Estrada Velha do Aeroporto, de extorsão mediante sequestro

Acorda Cidade

Acorda Cidade


Uma denúncia feita à Corregedoria da Polícia Civil (Correpol) por um grupo de comerciantes levou à prisão de três investigadores lotados na 10ª Delegacia Territorial (DT/Pau da Lima). De acordo com a Polícia Civil,  Luís Ignácio Spínola, de 45 anos, José Manoel Almeida Rocha Lyra, 47, e Renê Ramos Filho, 49, são acusados de extorsão mediante sequestro.


Os três estão com prisão preventiva de 30 dias decretada e permanecerão custodiados, nesse período, na carceragem da Correpol, localizada no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Um inquérito regular para apurar as circunstâncias do crime e um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) já foram instaurados contra eles, que estão detidos desde a semana passada.


De acordo com os comerciantes que foram à Correpol, os três policiais civis subtraíam o dinheiro que era obtido por eles na venda de cestas básicas. Numa modalidade conhecida como mascate, eles vendiam estas cestas em bairros como Pau da Lima, São Marcos e outros cortados pela Estrada Velha do Aeroporto.


Segundo eles, os policiais, em ocasiões e lugares diferentes, os abordavam, mandavam que entrassem na viatura, pertencente à unidade policial, e exigiam dinheiro e cestas básicas. Assim, não corriam risco de serem investigados ou de terem as mercadorias confiscadas.


Durante a investigação realizada pela Correpol, todos os comerciantes, no modelo mascate, daquela região foram ouvidos no inquérito, tendo, inclusive, feito o reconhecimento visual dos policiais. Os investigadores Renê e Luís têm 18 anos de polícia, enquanto José Manoel, 10.