Salvador

Por campanha salarial, operadores do trem do Subúrbio decretam greve

O Sindiferro informou que deflagrou a greve após a CTB oferecer zero de reajuste

Redação Corrreio 24h
(Foto: Divulgação/Sindiferro)

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Ferroviário e Metroviário dos Estados da Bahia e Sergipe (Sindiferro) iniciou nesta quarta-feira (14) uma paralisação de 72 horas nos serviço dos trens do Subúrbio. O sistema transporta diariamente cerca de 18 mil passageiros.Em nota publicada no seu site, o Sindiferro informou que os trabalhadores resolveram deflagrar a greve depois que a Companhia de Transportes da Bahia (CTB) ofereceu zero de reajuste salarial. A categoria disse ainda que havia dado um indicativo de insatisfação no início do mês de agosto, quando chegou a paralisar o trabalho por um dia.Segundo a CTB, desde que o Estado assumiu a gestão do sistema de trens do Subúrbio, em maio de 2013, os salários dos funcionários foram reajustados três vezes, chegando aos 22,42% de aumento acumulado ao longo destes três anos. A companhia disse ainda que está à disposição para dialogar com a categoria.A malha ferroviária que liga Paripe à Calçada é de 13,6 quilômetros, com 10 paradas ao longo do trajeto e dois trens em funcionamento. O horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 6h às 19h30 (saída do último trem), com intervalos de 40 a 45 minutos. A passagem custa R$0,50 centavos a inteira e R$0,25 centavos a meia, com gratuidade para pessoas a partir dos 60 anos.

Correio24horas