Salvador

Professor de basquete é preso por roubar R$ 28 mil em eletrônicos em Salvador

Entre os produtos roubados, havia 6 iPhones, um Xbox One, controles de vídeo-game, além de notebook; professor confessou o crime

Tailane Muniz, do Correio 24h

Todos os dias, há dois anos, o professor de basquete Luiz Felipe Vieira de Menezes, 19 anos, dava aulas para crianças e adolescentes de um colégio estadual de Salvador. Na tarde do dia 27 de julho, entretanto, Luiz deixou o ofício de lado e, segundo a Polícia Civil, entrou armado com uma faca na loja de eletrônicos Santório Importados, na Avenida Tancredo Neves, e roubou cerca de R$ 28 mil em produtos eletrônicos. Preso desde a tarde desta quarta-feira (2), o jovem confessou o crime.

Foto: Divulgação/SSP
Segundo as investigações da Polícia Civil, Luiz teve ajuda de outra pessoa para sair do estabelecimento - já que estava com seis sacolas contendo seis iPhones, quatro Playstation 4, um Xbox One, 12 controles de vídeo-games, além de fones de ouvido. A polícia conseguiu recuperar quase tudo, inclusive produtos que já haviam sido vendidos pelo professor.

Conforme a titular da 16ª Delegacia (Pituba), delegada Maria Selma Lima, responsável pelas investigações, imagens das câmeras do estabelecimento ajudaram a identificar o suspeito. "É mais um caso que a gente se surpreende. Um moço jovem, com um fututo pela frente se deixando levar por uma coisa assim. Ele trabalhava, lidava com crianças e adolescentes, não tinha necessidade disso", pontuou a delegada, completando que o jovem foi encontrado pela polícia no colégio em que dava aula, localizado no bairro do Stiep.

"Ele foi trazido para averiguação, mas após o interrogatório acabou confessando o crime e informando onde estavam os produtos. Conseguimos recuperar boa parte", afirmou. Em apresentação à imprensa, nesta quinta-feira (3), o professor disse estar arrependido. "Eu não sei o porquê, perdi a cabeça", disse, acrescentando que mora no bairro de Pernambués, próximo ao local do crime. Ao CORREIO, Luiz Felipe disse que concluiu o ensino médio em 2016 e que gostava de dar aulas de basquete às crianças. "Eu não tinha motivos, não sei o que aconteceu para eu fazer isso", repetiu.

Assalto

Conforme Maria Selma, a ideia de roubar a loja surgiu porque o jovem teve informações de como era a rotina no local. "O que aconteceu foi que o dono da loja falou com sua única funcionária que estava pensando em contratar uma outra pessoa. Ela, então, disse que indicaria um amiga. Ela [a funcionária] comentou, ingenuamente, com essa amiga como era o dia-a-dia. Essa amiga, por sua vez, comentou com o namorado, que vem a ser Luiz. Quero deixar claro que eu interroguei as duas e tudo me leva a crer que elas são inocentes", explicou a delegada.
Foto: Divulgação/SSP
Embora tenha dito, em depoimento, que pediu um Uber para sair do local, a delegada acredita que alguém estava dando cobertura ao jovem do lado de fora. "As investigações ainda estão em curso. Se tiver mais alguém, vamos descobrir". No momento do crime, apenas a funcionária estava na loja e, segundo a polícia, ela chegou a ser ameaçada com uma faca. À imprensa, o jovem argumentou que a ideia partiu da ex-namorada. "Ela participou de tudo, foi ela quem teve a ideia", insistia em dizer.

Dono do estabelecimento, o empresário Leonardo Pita, 28, confirma a versão da polícia. "As imagens filmaram. Eu acredito na inocência das meninas. Principalmente porque ele chegou pedindo dinheiro, e lá não fica dinheiro", disse ao CORREIO. O empresário disse, ainda, que participou de todas as etapas da investigação. "Todo dia vinha à delegacia para saber, tentar ajudar. Não tinha esperança de recuperar nem 10% dos produtos. Graças ao empenho da polícia, deu tudo certo", completou. Apenas três iphones, o notebook e três fones de ouvido.

'Vítima do sistema'

Frente a frente com o professor Luiz Felipe, o proprietário da Sontório Importado demonstrou um comportamento tranquilo. Questionado pela reportagem, ele disse que não tem raiva do jovem. "Nem um pouco de raiva, pelo contrário. Eu estive no momento da prisão dele, conversei com ele e convenci a se entregar. Ele confia em mim. Eu fico triste, porque é um menino. Conversei com um amigo de infância dele, que ficou chocado, não acreditou que ele teve coragem", lamentou.

O professor teve a prisão preventiva decretada e vai responder por assalto a mão armada.