Salvador

Rede Bahia e CDL anunciam parceria em novos projetos

Entre as novidades estão o cadastro positivo, a negociação de dívidas online, as notas fiscais eletrônicas e a certificação digital

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O presidente da Rede Bahia, Antônio Carlos Magalhães Júnior, recebeu nesta terça-feira (05), em uma reunião na sede do grupo, membros da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL). O encontro teve como objetivo a apresentação do novo superintendente da CDL, Silvio Corrêa, e a exibição dos novos projetos da associação.  Na ocasião, estavam presentes também Roberto Gazzi, Juliana Jozzolino e Paulo Sobral.

Na reunião, o superintendente falou sobre sua expectativa com o cargo e destacou a importância dos novos projetos para o fortalecimento do mercado baiano. "Estou com uma expectativa muito boa e vem novidades por aí. Entre os projetos estão o cadastro positivo, uma ferramenta que funciona como um conciliador de cartões de crédito com as administradoras de cartões. Este sistema permite cruzar dados, calcular juros e até fazer simulação de pagamentos. Tem ainda a negociação de dívidas online, as notas fiscais eletrônicas e a certificação digital", pontuou.

Ele ainda falou sobre a relação dos novos projetos entre a CDL e a Rede Bahia. "A parceria com a Rede Bahia permite que a informação sobre os novos benefícios cheguem a todos os interessados, o que inclui empresários e compradores". 

O presidente Antônio Carlos Magalhães Júnior também reforçou a importância da união entre as instituições. "A relação Rede Bahia e CDL já é muito antiga e os nossos valores são semelhantes. Também temos o compromisso de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da Bahia. Através da parceria fazemos a ponte entre a informação e os telespectadores para que os novos serviços sejam divulgados", contou. 

Perspectivas para o final do ano

De acordo com Silvio Corrêa, a expectativa é de crescimento nas vendas e alta na geração de emprego para as festividades do final do ano. "Estimamos um aumento no comércio em torno de 5% em relação ao ano anterior. Além disso, a possibilidade de efetivação pós-contratação temporária pode ser maior,  já que há indícios da abertura de novas lojas no varejo" esclareceu.