Salvador

Reitor da UFBA afirma "manter diálogo" com grevistas e MEC para fechar acordo

Categoria tem o objetivo de pressionar governo contra redução de verba destinada às universidades públicas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, afirmou, em nota, nesta sexta-feira (29), que está aberto ao diálogo com as categorias que aderiram greve e com o MEC. Professores e trabalhadores técnico-administrativos participaram de votação e aceitaram a paralisação na tarde desta quinta-feira (28)."A Reitoria mantém-se aberta ao diálogo com as categorias de nossa universidade, ao tempo que envida esforços, também em constante diálogo com o MEC, em defesa dos melhores interesses acadêmicos e institucionais de nossa universidade", diz nota.

O reitor também disse "compreender a importância e urgência da defesa da unidade pública, gratuita, democrática, inclusiva e de qualidade".Motivo da paralisaçãoA pauta principal da categoria é pressionar o governo contra a redução da verba destinada às universidades públicas. Na semana passada foi anunciado o tamanho do contingenciamento de recursos do Orçamento Geral da União em 2015. Para a Educação - setor que está entre as maiores reduções de gastos - serão cortados R$ 9,423 bilhões. Os professores ainda se declararam contra o Projeto de Lei da Terceirização e o reajuste fiscal. Também reivindicam correções nos planos de carreira e aumento salarial acima da inflação.