Salvador

Saiba como acontece a monitoração da temperatura de passageiros no Metrô

Os equipamentos começaram a funcionar nesta segunda-feira (1°), nas estações de Metrô Lapa e Pirajá

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

As estações de metrô da Lapa e de Pirajá passarão a contar com equipamentos para identificar, em tempo real e em meio à movimentação de pessoas, passageiros que estão com a temperatura corporal acima de 37,8º C, a partir da qual os protocolos de saúde apontam como possíveis portadores do novo coronavírus. Os equipamentos começaram a funcionar nesta segunda-feira (1°). 

A identificação de estado febril será feita por meio de câmeras. Os passageiros identificados pelas câmeras são abordados e levados para a sala de primeiros socorros das estações, onde recebem informações de segurança e isolamento e também fazem o teste rápido para a detecção da Covid-19.

A previsão é que os equipamentos funcionem das 7h às 19h, período que concentra cerca de 90% da demanda. “Após as 19h, quase não há movimento, especialmente porque os shoppings e faculdades não estão funcionando, que são as maiores demandas do metrô no horário da noite”.

Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Segundo o diretor presidente da CTB, Eduardo Copello, uma equipe de 16 pessoas, entre técnicos de enfermagem e de informática, passou por treinamento para a utilização do equipamento. Ele explica que as estações da Lapa e Pirajá foram escolhidas por serem as de mais movimento do sistema.

Equipes especializadas

Segundo o diretor presidente da CTB, as pessoas identificadas com a temperatura a partir dos 37,8º C são abordadas por equipes especializadas na área de saúde, como enfermeiros e técnicos de enfermagem. “Esses passageiros vão participar de uma pequena entrevista, para o serviço de saúde poder monitorar a pessoa, trabalho que já vem sendo feito quando se identifica algum caso suspeito. Também serão passadas para ela informações necessárias sobre cuidados como higiene e isolamento”.

Além do monitoramento da temperatura dos passageiros, o uso de máscaras é obrigatório no metrô. “Se alguém está sem máscara, é impedido de entrar. E se está utilizando de maneira errada, no queixo, por exemplo, é abordada para que conserte”, finaliza Copello.