Salvador

Saiba quais são as praias com maior risco de afogamento em Salvador

Março é conhecido entre navegantes e banhistas como mês de maré alta, ventos fortes e ressaca no mar

Redação do Correio 24 Horas

Jaguaribe, Farol de Itapuã e Jardim de Alah. Essas três praias são as com maior risco de afogamento em Salvador, segundo o coordenador do Salvamar, João Luis Gomes de Moraes. Gomes ressalta que, apesar dessas praias serem as com maior número de ocorrências é preciso redobrar a atenção nos demais trechos especialmente neste mês de março. 

Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO

Março é conhecido entre navegantes e banhistas como mês de maré alta, ventos fortes e ressaca no mar. O verão, estação de dias mais longos, termina em 20 de março, época em que, historicamente, tem início o período de chuvas na capital baiana. Salvador tem 50 km de praias.Apenas no mês de janeiro deste ano, o órgão registrou 113 ocorrências, sendo 101 resgates de afogamento e 12 crianças perdidas. Desse total, 54 foram com turistas e 59 com soteropolitanos.

“Se no local não tiver salva-vidas, a água deve ficar na altura da cintura para que se possa ter um lazer seguro”, orienta o coordenador. Ainda de acordo com o profissional, os casos relacionados a crianças perdidas são recorrentes, pois geralmente o responsável se distrai. “O ideal é não deixar a criança sozinha nunca e que ela (a criança), não fique distante mais que 40 centímetros”, alerta.

A Salvamar atua com um efetivo de 242 profissionais – em escalas de 8h às 18h – nas praias de Jardim de Alah até Ipitanga, além das ilhas de Maré e dos Frades. Em 2017, a Salvamar registrou 1.123 ocorrências envolvendo resgate de vítimas de afogamento, sendo que, dessas ocorrências, 160 correspondem ao número de crianças perdidas nas praias de Salvador.