Salvador

Sargento do Exército foi morto por traficantes rivais

O crime aconteceu por volta das 19h30, na Travessa Lago, Rua Jaqueira do Carneiro, na Fazenda Grande do Retiro

Bruno Wendel (bruno.wendel@redebahia.com.br)

Uma criança de 5 anos foi baleada durante a execução de um dos líderes do tráfico na Fazenda Grande do Retiro, na noite de domingo. Durante a ação, o menino foi atingido na mão esquerda, após quatro homens dispararem na direção de um bar, onde estava o traficante Eliedson Soares dos Santos, 40 anos, o Tob, alvo dos bandidos. Leandro Teixeira dos Santos, 28, que estava com Tob, foi baleado em uma das coxas. Sargento reformado do Exército, Eliedson era procurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). “Ele era alvo de nossas investigações. À quadrilha liderada por ele são imputados vários homicídios”, declarou o delegado Guilherme Machado, do DHPP.Segundo ele, a disputa do tráfico tem se acirrado no bairro e Tob foi assassinado por um bando rival. “Não há dúvida nenhuma que a intenção era eliminá-lo. A rivalidade do tráfico consiste em matar o principal dono da boca”, disse. O crime aconteceu por volta das 19h30, na Travessa Lago, Rua Jaqueira do Carneiro, na Fazenda Grande do Retiro.Eliedson estava dentro do estabelecimento quando foi surpreendido por quatro homens armados e encapuzados, que chegaram procurando por ele. Sem conseguir fugir, ele foi baleado no tórax, face, barriga, braço esquerdo, pé e perna direitos. A criança foi atingida na mão esquerda e Leandro Teixeira dos Santos, em uma das coxas.Tob e a criança foram socorridos para o Hospital Geral do Estado (HGE). O ex-sargento chegou ao hospital sem vida. A criança estava internada até a noite de ontem. Leandro foi socorrido para o Hospital Ernesto Simões Filho. O delegado Guilherme Machado pretende interrogá-lo o quanto antes. De acordo com a Centel, ele estava foragido da Justiça. Familiares de Eliedson disseram que ele estava afastado das Forças Armadas há 11 anos.Um primo do ex-militar disse que ele não tinha envolvimento com o crime. Depois, afirmou não conhecê-lo bem. Segundo ele, Elielson caminhava quando resolveram parar em um bar. “Foi aí que aconteceu. Atiraram em direção ao bar”. Ele disse não saber o motivo ou quem poderia querer matar Eliedson. “Não sei de nada. Sei que está havendo uma guerra lá entre facções. Esta semana houve tiros na quarta e sexta”, disse.O Exército confirmou que Eliedson era militar reformado e que ele foi aposentado em 2001, por invalidez. O Exército lamentou o ocorrido e afirmou que está prestando apoio à família. A assessoria da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) não foi encontrada para informar o estado de saúde dos pacientes.

Correio24horas