Salvador

"Se depender de minha vontade, Uber não entra em Salvador", diz prefeito

Prefeito disse que aplicativo prejudica taxistas, que trabalham submetidos às regulamentações municipais

Redação iBahia (redacao@ortalibahia.com.br)
- Atualizada em

Após apresentar as mudanças na regulamentação das atividades dos taxistas, nesta segunda-feira (14), o prefeito de Salvador, ACM Neto, aproveitou para comentar sobre o Uber, aplicativo no qual passageiros podem se conectar a um motorista particular cadastrado pela empresa. Na reunião, o prefeito se mostrou contrário ao dispositivo. "Se depender da minha vontade, o Uber não vai entrar em Salvador para prejudicar os taxistas", afirmou.Ainda sobre o aplicativo, Neto ressaltou que primeiro há de se estudar quais são os limites legais do serviço: "acho que temos que prestigiar a categoria que submete às regras, como o regulamento que está sendo assinado agora e que impõe uma série de obrigações dos serviços de táxis, que exige muita coisa destes profissionais".Para o secretário de Mobilidade do município, Fábio Mota, também presente na reunião, o serviço não atende à regulamentação existente no município. "Os sistemas oficiais de regulamentação são o do Transporte Coletivo por Ônibus, o Transporte Especial Complementar, dos Táxis, do Transporte Escolar e do Transporte Turístico. Como o Uber não se submete a qualquer uma dessas regulamentações, ele é considerado clandestino”, explicou.