Salvador

Soteropolitanos com covid-19 serão monitorados por rede de saúde; saiba como funciona

Iniciativa será usada também no combate de outras doenças, incluindo as endêmicas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O prefeito de Salvador, ACM Neto, apresentou nesta quarta-feira (17) um novo programa de combate ao novo coronavírus e outras doenças que possam afetar a população da cidade e que funcionará com recursos da telemedicina. A novidade foi apresentada em coletiva virtual junto ao titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Léo Prates.

Neto explicou o funcionamento do Salvador Protege. “A aplicação começa a acontecer nesse período de enfrentamento ao novo coronavírus, mas veio para ficar como conquista permanente do sistema de saúde de Salvador. Talvez este seja o passo mais significativo que vamos dar nesse trabalho de atenção básica, de prevenção e relacionamento direto com as famílias e com a comunidade. É um trabalho proativo, que vai levar atendimento para dentro da casa das pessoas de forma adequada a essa nova realidade do mundo”, disse o prefeito.

A iniciativa envolve o trabalho das Unidades Básicas de Saúde, além das atividades realizadas por agentes de saúde e das ações de combate a endemias. Será possível rastrear as pessoas contactadas, para evitar a proliferação das doenças.

Dinâmica 

O primeiro passo do Salvador Protege é identificar a pessoa com sintomas suspeitos de Covid-19 sem complicações. Esse paciente, então, é acolhido e avaliado em uma ala protegida e isolada da UBS mais próxima da residência. Caso não tenha sinais graves da doença, é incentivado o isolamento domiciliar com acompanhamento dos casos e pessoas próximas a esses pacientes.

O acompanhamento é feito de maneira remota a cada 48h, utilizando os recursos da telemedicina, pelos profissionais da unidade de saúde. A partir da evolução do casos, pode ser concedida alta médica ou, se houver agravamento do quadro, ser feito o encaminhamento seguro para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Atendimento
O atendimento pelo programa é feito da seguinte maneira: primeiro, o profissional de saúde vai ligar para a pessoa com suspeita de Covid-19 e avaliar o estado de saúde do paciente a cada 48h. Nesse momento, o cidadão passará a ser orientado e monitorado para realizar o isolamento domiciliar de forma adequada. Além disso, o atendimento vai identificar, rastrear e avaliar a situação das pessoas que tiveram contato com o doente nos dois dias antes do início dos sintomas, na tentativa de impedir a transmissão.

Se a pessoa evoluir sem complicações no acompanhamento remoto, ela receberá alta segura e poderá retomar as atividades. No entanto, se apresentar complicações, será acionado o Samu 192 para avaliação imediata e encaminhamento seguro para uma unidade de emergência.

A implantação do programa será feita de forma gradual e já começa, imediatamente, em 22 UBS: Alto do Coqueirinho, Arenoso, Boca do Rio, Cajazeiras IV e V, Canabrava, Candeal Pequeno, Doron, Fazenda Grande do Retiro, Garcia, Itapuã, Jardim Nova Esperança, Massaranduba, Mata Escura, Pau da Lima, Pelourinho, San Martin, São Marcos, Sete de Abril e Vale do Matatu/Luís Anselmo. Os 1.551 profissionais destas unidades vão atender a 256 mil pessoas.

A intenção é expandir para todas as 149 unidades de saúde nos 12 distritos sanitários, envolvendo as 339 equipes de Saúde da Família existentes em Salvador. O programa envolve também a formação dos trabalhadores, incorporação de tecnologia e suporte contínuo de equipes da SMS e de instituições de ensino parceiras, através dos programas de residência médica.

Demais doenças
Principalmente no período pós-pandemia, o Salvador Protege vai realizar acompanhamento permanente também para os casos de rotina nas unidades básicas de saúde. Serão atendidas as áreas de Saúde Materno-Infantil (gestantes, puérperas e puericultura), Saúde do Idoso, Doença Falciforme, Doenças Sexualmente Transmissíveis (HIV, hepatites virais e sífilis) e Saúde Mental.