Salvador

Startups ganham fôlego com incentivos fiscais em Salvador

Empreendedores que apostam na inovação têm redução de impostos e plano de estímulo para instalação ou ampliação de negócios

Redação iBahia
- Atualizada em

O nicho de inovação é um setor diretamente impactado pelas medidas de recuperação e estímulo da economia que estão sendo implantadas pela Prefeitura durante a pandemia do novo coronavírus. O objetivo é incentivar, com ações imediatas, startups e demais empresas de base tecnológica, a exemplo de fintechs e bancos digitais, a escolherem Salvador como sede operacional ou ampliar os investimentos na cidade.

Algumas das iniciativas de estímulo já se tornaram realidade, a exemplo da redução de 5% para 2% do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) para empresas do segmento e o abatimento de 50% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para aquelas com base tecnológica e startups localizadas na região do bairro do Comércio, com isenção de taxas. 

As duas medidas estão inseridas na Política Municipal de Inovação, aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada esta semana pelo prefeito ACM Neto. A nova legislação estimula ainda microempreendedores individuais, microempresas ou empresas de pequeno porte da área de inovação a captarem apoiadores, permitindo que esses patrocinadores tenham desconto de até 80% do valor do projeto deduzidos do IPTU, no limite de R$50 mil. 

Estímulo em cadeia - Com dois anos de atuação no Hub Salvador, no Comércio, e hoje no Espaço Colabore (Parque da Cidade), a startup Solo acredita que as medidas anunciadas pela Prefeitura vão estimular o empreendedorismo inovador. A startup trabalha na oferta de soluções para coletas circulares de resíduos, fazendo a logística reversa das embalagens de produtos consumidos no dia a dia, como vidro, plástico, papel, papelão e metais. 

“Sempre buscamos esse apoio institucional a partir de políticas públicas voltadas para o setor, estimulando o nascimento e crescimento de pequenos negócios de inovação. Assim, as empresas têm mais fôlego financeiro para seguir adiante em momentos de incertezas como o atual. É, sem dúvida, um conjunto de estímulos que pode promover uma reação em cadeia, alimentando este ecossistema de inovação em Salvador”, disse Saville Alves, uma das sócias da startup. 

Expansão - No mercado desde 2013 e atualmente com 110 funcionários, a Agilize Contabilidade atende a uma carteira de seis mil clientes, com meta de chegar a 12 mil até o fim de 2020, sobretudo agora, com os incentivos anunciados pelo município. A startup possui sede própria, mas mantém um braço no Hub Salvador, por questões de network e para se manter no que considera o núcleo do ecossistema de empresas de tecnologia na capital baiana. 

“Considero medidas bastante válidas da Prefeitura, abraçando as empresas de tecnologia com auxílios tributário. No nosso caso, o valor conseguido seria utilizado diretamente no crescimento da empresa, para captar novos clientes e gerar novos empregos com investimento em novas tecnologias. Dessa forma, acredito que todo o ecossistema será fortalecido, num círculo virtuoso que reforçará ainda mais a posição de Salvador como um polo nacional de empresas de base tecnológica”, acredita Rafael Caribe, dirigente da startup. 

Com sete anos de atuação, a soteropolitana Cubos é outra que atua com inovação e ficou animada com as medidas tributárias anunciadas pela Prefeitura. A startup tem hoje alcance nacional nos setores de gestão de negócios e criação de novas empresas, apoio tecnológico a novos empreendimentos e cursos para formação de profissionais. A empresa já integrou o Hub Salvador e hoje possui sede própria, contando atualmente com 115 colaboradores. 

“Essa política traz diversos benefícios, ajuda a levantar discussões, movimentar o mercado e estimula diretamente o surgimento e a continuidade dessas empresas de inovação. Um ponto importante é o apoio tributário, fiscal e monetário, que dá suporte ao novo empreendedor, pois o acesso ao capital é um dos maiores entraves para quem começa neste negócio. Esse respaldo, além dos ambientes criados, a exemplo do Hub Salvador, é muito importante para o crescimento desta rede”, diz Sara Passos, gestora da Cubos. 

Balanço - Desde o início da atual gestão, a Prefeitura buscou incentivar o setor de inovação concedendo, além de benefícios fiscais, o reconhecimento do bairro do Comércio como região fundamental para o segmento, aliado à redução da carga tributária, aprimoramento dos serviços públicos e lançamento de editais e eventos. Vale lembrar que a capital baiana conta com uma Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis). 

A criação do Hub Salvador, que abriga startups e sedia eventos no Comércio, e do Espaço Colabore, centro de inovação e coworking público no Parque da Cidade, no Itaigara, estão no balanço das ações já realizadas pela Prefeitura, que também estimulou o setor com novas soluções nos serviços públicos, a exemplo do aplicativo CittaMobi, e com promoção de editais. 

Por conta dessas iniciativas, Salvador é atualmente destaque nacional na área de inovação e líder do Nordeste, apresentando, já em 2019, o maior crescimento no número de startups entre as capitais, segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups). Até o início da pandemia, a cidade tinha 124 empresas de base tecnológica, gerando cerca de 350 postos de trabalho.

Somente as empresas do Hub Salvador, espaço premiado nacionalmente, receberam investimentos de R$ 66 milhões até dezembro de 2019, obtendo 94% de satisfação em nota de avaliação de desempenho pela infraestrutura e serviços prestados aos usuários.

"A gestão municipal tem total compromisso essa agenda. E, desde 2017, quando foi criada a diretoria de Inovação no âmbito da secretaria, estamos desenvolvendo políticas públicas e ações que conectem e possam expandir ainda mais os ecossistemas e empreendedorismo locais. Com isso, Salvador se tornou, em 2019, a primeira cidade do Norte-Nordeste e a oitava do Brasil com maior número de startups em atuação”, disse João Resch, titular da Secis.