Salvador

Taxistas podem dispensar a bandeira 2 em dezembro

A medida começou na quinta-feira (1) e vai até às 6h do dia 2 de janeiro. Os taxistas têm liberdade para adotar ou não a aplicação da tarifa

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Alguns taxistas da capital e região metropolitana estão dispensando a bandeira 2 durante o mês de dezembro. De acordo a Associação Metropolitana de Taxistas (AMT), a decisão foi tomada no mês passado em consequência da crise financeira e da concorrência com o Uber, aplicativo de serviço de transporte. A medida começou hoje e vai até às 6h do dia 2 de janeiro.

Uma lei municipal de 2006 autoriza o uso da bandeira 2 neste mês, portanto, os taxistas são livres para aplicar ou não a tarifa. “O taxista que estiver usando a bandeira 2 não está ilegal, é um direito”, explica Eduardo Vieira, vice-presidente da AMT. Segundo a Secretaria de Mobilidade (Semob), o que não é permitido pela prefeitura é que se cobre um preço maior do que o estabelecido. Atualmente, o quilômetro rodado nesta bandeira custa R$3,38. Na bandeira 1, o valor cobrado é R$2,42 o quilômetro e R$4,88 a bandeirada.

Segundo Vandeilson Miguel, presidente da AMT, por lei, a tarifa pode ser cobrada a qualquer momento em dezembro. A orientação dada por ele é que o usuário pergunte ao motorista qual bandeira está sendo aplicada. Normalmente, a tarifa é praticada das 21h às 6h, de segunda à sexta-feira e nos domingos e feriados. 

Vandeilson relatou ainda que a categoria está dividida quanto à decisão, mas entende o lado de quem não quer adotar. “É um direito deles. A ideia é que todo mundo adote [a medida] porque, do contrário, o passageiro que sabe disso pode rejeitar a corrida e procurar outro taxista”, argumenta. Ainda conforme ele, alguns taxistas, por outro lado, viram na decisão uma saída para aumentar a renda, já que isso pode render mais corridas. 

Faturamento

De acordo com Eduardo, os taxistas já começaram hoje mesmo. Ele, que trabalha próximo ao Hotel InterCity, na Av. Tancredo Neves, fazia, em média, oito corridas por dia. Depois que a notícia da novidade se espalhou, o negócio parece já ter rendido para alguns. Neste mesmo ponto trabalham outros 15 taxistas e todos resolveram adotar a decisão. “Tivemos um volume maior de corridas, foi satisfatório. Fiz 14 corridas hoje”, conta. “Mas nós queremos competir igualmente com o aplicativo”, acrescentou.