Salvador

Tempo instável obriga soteropolitanos a mudarem de hábitos

Previsão é de que sol e chuva continuem se alternando no fim de semana

Gil Santos, do Correio 24h


Pela manhã aquele sol forte. Você calça um sapato rasteiro, põe uma camisa mais fresca e vai trabalhar, mas quando é no meio da manhã o tempo fecha. Chuvas tão fortes que provocam até alagamentos, ventos intensos e temperaturas mais baixas. O outono é o tempo da imprecisão em Salvador e essas mudanças bruscas têm obrigado os baianos a andarem prevenidos para o inverno e o verão ao mesmo tempo.

Foto: Marina Silva/CORREIO
A vendedora Juliana Oliveira, 27 anos, saí de casa sempre pela manhã e retorna apenas no final da tarde. Para ela, essas mudanças climáticas provocam indecisões.

"Eu nunca sei qual é a roupa certa para usar. Fico em dúvida se devo levar a jaqueta ou se deixo em casa. Não gosto de andar com sombrinha, mas também não quero ser pega desprevenida. Olho pela janela e penso 'Ah! Está sol. Vou de rasteirinha', mas aí começa a chover e meu pé fica encharcado. É terrível", afirmou, entre risos.

Já a estudante Aline de Jesus, 29, sempre leva uma blusa mais fresca na mochila, mesmo quando o dia está de chuva. "Às vezes, eu saiu de casa com um casaco e camisa de gola alta porque está chocendo, mas quando é no meio do dia abre aquele sol forte de praia. Se ficar muito quente, eu troco de roupa", contou.

Nesta sexta-feira (11), o tempo foi mais constante. Salvador tem registrado chuva desde o início da manhã, e a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que o tempo permanecerá fechado neste fim de semana.

A meteorologista do Inmet Cláudia Valéria afirmou que as mudanças bruscas no tempo são comuns nesta época do ano. Essas oscilações fazem parte do outono baiano. O Inmet registrou em Salvador volume médio de chuva de apenas 1,6 mm – em todo o mês de maio, foi de 71,4 mm, um equivalente a 19% da média do mês inteiro.

“Isso significa dizer que não teve nenhum dia até hoje que não tivesse ocorrência de chuva, mas tivemos dias intercalados com abertura de sol”, explica.

Onde choveu mais

O bairro do Cabula foi o mais chuvoso. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), a região registrou 25.48 nas últimas 24h. Em segundo lugar apareceu Tancredo Neves, com 21.4 mm. Ele foi seguindo de Alto do Coqueirinho (18.8), Mussurunga (17.4) e Caminho das Árvores (17.35).

A Federação foi o bairro menos castigado pelas chuvas. A região registrou apenas 1.79 mm nas últimas 24h. Em Cosme de Farias também não choveu muito, 2.58 mm. Sendo seguido pelo Centro de Salvador (2.97), Monte Serrat (3.16) e São Tomé de Paripe (3.6).

Na Barra, o vento forte balançou os coqueiros, e as areias da praia ficaram quase desertas. Muita gente retirou os casacos e agasalhos do armário, e enfrentou a chuva. O trânsito registrou pontos de congestionamento, e alguns trechos da cidade ficaram alagados.

A previsão do Inmet é de que o tempo deve permanecer instável durante o fim de semana. A temperatura mínima prevista para esta sexta-feira foi de 22°C, enquanto a máxima não deve passar de 29°C. Segundo a Cláudia Valéria, o Dia das Mães será molhado.

“Não está previsto nenhum volume de chuva significativo, mas vai ter sempre essa chuvinha. Não muda quase nada em relação aos últimos dias”, afirmou a meteorologista.