Salvador

Travessia de lanchas continua suspensa na Baía de Todos os Santos

Marinha e prefeitura emitiram alerta por conta do mau tempo

Redação Correio 24h

Depois de um dia de chuvas e ventanias a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) ainda não tem previsão de quando o sistema de lanchas que faz a travessia entre Salvador e Mar Grande será retomado. O serviço foi suspenso desde às 5h desta segunda-feira (3) por conta dos ventos fortes e das ondas. Entre 7 e 9 mil pessoas usam o sistema todos os dias. Na capital, a Codesal registrou 30 solicitações apenas hoje.

Foto: Marina Silva/CORREIO
Quem estava a caminho de Morro de São Paulo também precisou alterar a rota. Os catamarãs, que saem de Salvador direto para Morro de São Paulo, estavam seguindo apenas até Itaparica nesta segunda-feira. De lá, os passageiros embarcavam em ônibus da Astramab até o município de Valença, para em seguida atravessar para Morro.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as rajadas de vento chegaram a 49 km/h em Salvador nesta segunda, mais forte que o comum para essa época do ano. Em alguns bairros, casas foram destelhadas e roupas arrancadas do varal. Nesta terça (4), a temperatura vai variar entre 21°C e 27°C.
Foto: Marina Silva/CORREIO
Por conta do vento forte, a Marinha emitiu um alerta de mau tempo, que pode influenciar na navegação. Segundo a Marinha, na área marítima compreendida entre Caravelas, Sul do estado, e Salvador a previsão é de vento forte, com rajadas, até as 21h desta terça. Entre Cabo Frio (RJ) e Natal (RN), a previsão é de mar grosso, com ondas entre 3 e 4 metros, até as 21h da próxima quinta-feira (5).

Estragos
Os ventos fortes e o solo encharcado pela chuva deixaram a Secretaria Municipal de Manutenção (Seman) em alerta por conta do risco de queda de galhos ou de árvores inteiras. A Seman informou que cerca de 5 mil árvores são podadas todos os meses em Salvador e que intensificou esse trabalho nos últimos dias, quando houve a previsão dos ventos fortes.
Foto: Almiro Lopes/CORREIO
Em nota, o secretário Marcílio Bastos informou que os plantões foram intensificados e que a Seman está disponível 24h para atender aos chamados. "A velocidade acima do normal nos preocupa e, por isso, estamos em estado de alerta. É importante observar que as ações preventivas realizadas pela Prefeitura em cerca de 5 mil vegetais por mês garantem a redução de incidentes, mas seguimos acompanhando o comportamento dos vegetais, inclusive porque muitos estão em terreno privado", afirmou.

A Codesal informou que até às 17h30 recebeu 30 solicitações. Foram três alagamentos de imóvel, cinco ameaças de desabamento de imóvel, quatro ameaças de deslizamentos de terra, quatro ameaças de queda de árvore, uma árvore caída, duas avaliações de imóvel alagado, quatro desabamentos parciais, quatro deslizamentos de terra, dois destelhamentos e uma infiltração. Não há registro de feridos.

Ferry-boat
Com as lanchas do Terminal Náutico paradas, os passageiros procuraram a ferry-boat para fazer a travessia até Itaparica. Segundo a Internacional Travessias, concessionária que administra o sistema, cinco embarcações estavam operando, mas houve um aumento na demanda e foi necessário colocar mais um ferry para fazer a travessia.

Operaram nesta segunda-feira os ferrys Agenor Gordilho, Zumbi dos Palmares, Ana Nery, Pinheiro e Ivete Sangalo. A embarcação Juracy Magalhães foi usada em horários extras oferecidos no decorrer do dia, de acordo com a demanda. O tempo médio da viagem, que é de 1h, foi maior que o normal.

Por conta da agitação do mar, foi preciso mudar a rota e fazer a travessia mais próximo da costa. Caminhoneiros e motociclistas foram orientados para não fazer a travessia nos horários em que o mar estava mais agitado. Apesar do mau tempo, não houve incidentes na travessia.