Salvador

Trecho de calçadão na orla da Pituba desaba e área é isolada

Ondas e marés altas podem ter provocado desmoronamento; ninguém se feriu

Pedor Vilas Boas, do Correio 24h
Um trecho do calçadão da Avenida Octávio Mangabeira, na orla da Pituba, desabou por volta das 6h desta terça-feira (27). Algumas pessoas estavam fazendo exercícios físicos com o uso de equipamentos perto do local da queda, próximo ao restaurante Ki-Mukeka, mas ninguém ficou ferido.
Foto:Marina Silva/ Correio 24h
Uma equipe da Defesa Civil do Salvador (Codesal) esteve no local ainda pela manhã para isolar a área. O diretor do órgão, Sosthenes Macedo, afirmou que as áreas fora do isolamento, como gramado e ciclovia, estão seguras e podem continuar a ser usadas por pedestres e ciclistas.
"A priori, foi causado pelo avanço do mar. Fizemos o isolamento e agora a Sucop fará a avaliação", informou, por meio de nota.
A Superintendência de Obras Públicas (Sucop) enviou comunicado onde informa que já está entrando em contato com o projetista para fazer o plano de recuperação do trecho desabado.
"No momento estamos retirando os escombros, conter provisoriamente a erosão... Enquanto definimos o projeto executivo para imediatamente executarmos", explicou o superintendente do órgão, Orlando Cezar da Costa.
Ainda de acordo com o superintendente, a construção do trecho deve ser finalizada dentro de três meses.
O engenheiro Jorge Luis, 39 anos, estava utilizando os equipamentos para exercícios físicos que ficam na calçada, quando o desabamento aconteceu.
Prevenção
O professor José Maria Landim, doutor em Geologia Marinha, explica que, basicamente, existem dois motivos que podem ter causado o desabamento desse trecho da calçada. "Se tiver ondas muito altas, elas podem bater no muro, ou então por conta das marés altas deste mês", esclareceu.De acordo com ele, é comum no mês de março a ocorrência de ondas e marés altas, chamadas de maré equinocial.
Landim ainda explica que, mesmo tendo conhecimento que  março possui essas ondas e marés atípicas, o poder público deve levar em consideração as variações desses mesmos fenômenos, que não podem ser esperados.
"O problema todo dessa orla é que essa pista da Octávio Mangabeira foi construída, praticamente, em cima da praia. É preciso fazer um engordamento, reconstituir artificialmente uma área arenosa pra funcionar como uma região de proteção da avenida, pra ela poder absorver essas variações", analisa o professor.
Foto:Marina Silva/ Correio 24h
Outra saída, menos eficiente e mais barata, seria apenas reforçar o muro. "Você pode construir algum tipo de quebra-mar, mas isso traria complicações estéticas e de circulação de água. O melhor seria reforçar o muro de uma forma que tenha condições suficientes pra resistir às ondas e marés", sustenta.
Novas medidas
O superintendente da Sucop informou que nessa nova obra da calçada será feita uma contenção de alvenaria com pedras. Essa alvenaria será instalada em um nível de um metro abaixo do zero hidrográfico, como é chamado o nível mais baixo que uma maré pode chegar no ano.
"Depois do projeto pronto, a Sucop vai orçar a obra e passar para a empresa contratada executar", concluiu Orlando.