Salvador

Turistas são agredidas em tentativa de assalto na Praia do Buracão

Mãe e filha sofreram fraturas nos braços, rostos e pernas e foram socorridas ao HGE; não há informações sobre o estado de saúde delas

Bruno Wendel, do Correio 24 horas (bruno.cardoso@redebahia.com.br)

Duas turistas do Paraná foram agredidas durante uma tentativa de assalto na Praia do Buracão, no bairro do Rio Vermelho, nesta sexta-feira (16). Mãe e filha foram jogadas da escadaria que dá acesso à praia depois que uma delas lutou com os dois assaltantes, que fugiram sem levar nada. 

Elis Regina Slomski sofreu fraturas nos braços, rostos e pernas (Fotos: Marina Silva/CORREIO e Reprodução)

Elis Regina Slomski, 45 anos, e a mãe Elfi Schulz Slomski, 74, foram socorridas para o Hospital Geral do Estado (HGE). Ambas sofreram fraturas nos braços, rostos e pernas. Não há informações sobre o estado de saúde delas. 

De acordo com informações colhidas no HGE, Elis e Elfi vieram a Salvador para participar de um congresso da Federação Nacional do Ministério Público. Elas estavam na praia quando foram surpreendia por uma dupla de ladrões, por volta 19h. Os bandidos chegaram de bicicleta e abordaram as turistas na Rua do Mirante – que dá acesso à praia através da Rua do Barro Vermelho, quando elas iam embora. Elis reagiu, iniciando uma luta com os ladrões e ela e a mãe acabaram sendo empurradas na escadaria. 

“Elas saíram bem machucadas, com ferimentos pelo corpo. O pessoal que passava na hora prestaram os primeiros atendimentos e, logo depois, chegaram duas ambulâncias do Samu (Serviço Móvel de Urgência), que socorreu as duas”, contou Ana Diegues, 45, moradora da região. 

Em nota, a Polícia Militar informou que a 12ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Rio Vermelho) por volta das 18h15 para atender a ocorrência e, quando os policiais chegaram ao local encontrou as duas mulheres com escoriações no corpo. "Elas relataram terem sido agredidas por dois homens, durante uma tentativa de roubo. As vitimas foram atendidas pelo Samu e encaminhadas para um hospital particular e para o HGE", informou a corporação, acrescentando ainda que fez rondas na região para tentar localizar e apreender os suspeitos, mas eles não foram encontrados.

Assaltos

Segundo Ana Diegues, ações de bandidos tem sido frequentes na localidade. “A situação aqui está complicada. Vez ou outra a gente fica sabendo que alguém foi vítima de assalto. São banhistas e moradores daqui, mas os moradores são as principais vítimas”, disse. 

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

A situação na Praia do Buracão tem se agravado. “A gente ouvia falar de um assalto a cada cinco, seis, ou até 10 meses. Mas desde a chegada do comércio no entorno (restaurantes e bares), a praia que antes era só frequentada por moradores, hoje tornou-se popular e atraiu a bandidagem. Sem falar que os postos de iluminação pública não funcionam na Rua do Mirante. Polícia passa aqui vez e outra”, declarou a moradora Marisa Botelho, 55. 

Por conta das ocorrências de assaltos que ficou sabendo, a fisioterapeuta Aline Souza, 35, foi de carro com a filha de dois anos para a praia. “Poderia vir andando, moro do outro lado da pista, mas, pela manhã, o trecho até aqui é deserto, perigoso”, declarou.