Salvador

Vale das Pedrinhas fica sem ônibus após mortes e protestos

Sindicato vai avaliar se retoma o serviço na manhã desta quarta-feira

Redação Correio 24h

O final de linha do Vale das Pedrinhas continua sem ônibus na manhã desta quarta-feira (20). Por segurança, ontem os rodoviários suspenderam o serviço no bairro após mortes de moradores e protestos. Segundo o vice-presidente do sindicato da categoria, representantes farão uma avaliação na manhã de hoje para decidir o serviço será retomado por todo bairro. Até lá, os ônibus estão usando a Rua do Canal como ponto de parada.

O policiamento no local também segue reforçado. Não há informação de novos confrontos. Na tarde desta terça-feira (19), a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) recomendou aos rodoviários que circulam no bairro para ir somente até a entrada do Vale das Pedrinhas.

(Foto: Arquivo CORREIO)

“Apenas por precaução, orientamos para que os ônibus, que circulam no bairro, sigam somente até a entrada do Vale das Pedrinhas. O policiamento permanecerá reforçado, garantindo a manutenção da rotina dos moradores”, ressaltou o comandante da 40ª CIPM, major Hamílton Souza Teixeira Júnior.

"Tivemos relatos de rodoviários de que havia facções passando no final de linha com armas de grosso calibre. Por isso, a decisão de mudar o final de linha até que a paz seja reestabelecida no local", explicou o diretor de Saúde e Segurança do Sindicato dos Rodoviários, Pedro Celestino.

Protesto e mortes

Mikael Militão dos Santos, 18 anos, e Yan Patrick Queiroz, 18, morreram após um confronto com a Polícia Militar no Vale das Pedrinhas na manhã de ontem.

Revoltados, moradores fecharam um trecho da Avenida Juracy Magalhães, no sentido rodoviária, e atearam fogo em pneus, pela tarde. Duas adolescentes foram apreendidas durante protesto por mortes no bairro. As famílias contaram que a PM esteve na localidade, levaram os jovens com vida e depois eles já foram encontrados mortos no Hospital Geral do Estado (HGE). Mikael foi baleado no abdômen, na cervical e no tórax direito posterior e Yan foi baleado no tórax.

No entanto, em nota, a SSP-BA informou que os jovens foram mortos em confronto com integrantes do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da 40ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Nordeste de Amaralina), que apreendeu no local uma pistola .380, munição, drogas, um rádio comunicador e um celular.