Salvador

Wagner diz que afirmações da PF são infundadas e nega ter recebido propina

Ex-governador é alvo de operação da PF

Luan Santos, do Correio 24 horas (luan.santos@redebahia.com.br)
O ex-governador Jaques Wagner afirmou nesta segunda-feira (26) que as afirmações dos delegados da Polícia Federal durante a operação Cartão Vermelho são infundadas. Ele negou ter recebido propina das empresas das empresas que fizeram as obras da Fonte Nova
Wagner também questionou a informação de que a obra foi superfaturada, ao afirmar que a Fonte Nova foi uma das arenas mais baratas dentre as construídas no Brasil. Acompanhado de seus advogados, Wagner ainda questionou o fato de a operação ter ocorrido em pleno ano eleitoral, quando o nome dele é apontado como plano B do PT para a disputa pela presidência da República caso o ex-presidente Lula seja impedido.
"É parte da politização que virou o processo de investigação. O mandado diz pra aguardar sob sigilo. Os números foram da realidade. Não sei onde a delegada tirou esses R$ 82 milhões. A obra toda custou R$ 650 milhões. Ela diz que foram R$ 200 milhões de superfaturamento.  Fizeram uma atualização que não compreendo, de que o superfaturamento foi de R$ 650 milhões, muito acima da inflação", diz.  
"Nunca recebi nem pedi propina. Não peço nem autorizo ninguém a pedir. Assim foi na fonte nova.  A Polícia Federla está comprando a versão de que houve superfaturamrnto. Em PPP  não existe superfaturamento.  Contratamos a PPP para construção e gestão da Fonte Nova, os valores estão entre os mais baixos. Há inclusive pronunciamento do TCU. Espero que o inquérito se encerre que teremos direito de nos defender", complementou. 
O atual secretário estadual de Desenvolvimento Econômico diz que tem colaborado com as investigações e classificou a operação de busca e apreensão como desnecessária. 
"Vou aguardar o final desse processo e vou me defender com tranquilidade. A Polícia Federal está dando credibilidade a réus confessos. Levaram celulares, iPad, computador que estava no escritório e escritura pública da chácara que tenho em Andaraí.  Levaram relógios.  Ela diz que são luxuosos. Espere que mande periciar. A maioria é simples. A equipe saiu da minha casa 8h30 e 10h ela já fazia essa afirmação de que eram luxuosos sem ter mandado periciar", ressaltou.