Santa Casa

Cremar ou enterrar? Saiba a diferença e como é o processo de cremação

Decisão de escolher entre enterro ou cremação depende muito das crenças e questões sociais

Especial de Conteúdo

Oferecimento
A morte é um assunto delicado e muitas vezes pouco comentado entre as pessoas, mas ela precisa de atenção especial, principalmente pelo custo e burocracia. Um dos pontos que devem ser decididos é a escolha entre enterro e cremação. Você sabe qual a diferença entre os dois processos?


Cremar é reduzir às cinzas, enquanto enterrar, é colocar sob a terra, como o próprio nome já diz. A história conta que o sepultamento é um processo bem antigo, por causa dos fósseis encontrados de homens pré-históricos debaixo da terra, além de ossadas depositadas em grutas e cavernas.

Já a cremação era comum na Grécia e Roma antigas e considerada um destino nobre para os mortos, principalmente porque o sepultamento era uma opção dada aos criminosos ou condenados.

A decisão de escolher entre enterro ou cremação depende muito das crenças e questões sociais. Algumas religiões, como o Budismo e o Hinduismo, têm o ato de cremar como o método oficial para lidar com os mortos. Já a Igreja Católica, até 1964, considerava esta opção como algo proibido.


Como funciona

Em países como Japão e Inglaterra, a cremação é o processo mais comum. No Brasil, no entanto, ainda existem dúvidas sobre como funciona. A primeira coisa que os familiares precisam providenciar é a parte burocrática. Não se faz cremação sem a certidão de óbito do falecido e a permissão de um médico legista.

O processo de cremação dura em torno de 3 horas, dependendo de fatores como o peso do falecido, o tipo de caixão e a temperatura da câmara. É importante lembrar que o processo é individual, ocorrendo um por vez.


O desejo de ser cremado respeita o desejo de cada um. Mesmo com a vontade de ser cremado expressa ainda em vida, os familiares podem se opor. A cremação só fica restrita em caso de morte violenta. Nestas situações, ela só poderá ser realizada se a família conseguir autorização judicial.