Santa Casa

Museu da Misericórdia recebe exposição inédita de obras pouco conhecidas de Carybé

Mostra Hector Bernabó, o Carybé da Bahia, acontece a partir desta quinta até 28 de outubro

Especial de Conteúdo
- Atualizada em
Oferecimento
Para quem admira as obras do artista Carybé, a exposição Hector Bernabó, o Carybé da Bahia, no Museu da Misericórdia, da Santa Casa da Bahia, é um grande presente. Inédita, a mostra reúne 34 telas de coleções particulares de Irmãos da Santa Casa. O lançamento da exposição acontece na próxima quinta-feira (27), às 18h30, no próprio museu.

A paixão de Carybé pela Bahia está presente nas obras, de acordo com a curadora da exposição, Simone Trindade. “As obras foram produzidas em períodos diferentes da vida dele, nas décadas de 40, 50, 60... Todas elas mostram a forma como Carybé percebia o modo de ser do baiano, as festividades, a alegria e a religiosidade”, afirmou.

Foto: Divulgação

“Esta homenagem da Santa Casa vai, graças à generosidade dos colecionadores, permitir ao público apreciar obras que há muito não são expostas”, destaca a filha do artista, Solange Carybé.

A felicidade pela realização da mostra também é compartilhada pelo provedor da Santa Casa, Roberto de Sá Menezes. “É uma honra para nós promover essa realização que é mais um marco na trajetória do Museu da Misericórdia, mais um passo de sua relevante participação no fomento à cultura da Bahia”, disse.

A exposição Hector Bernabó, o Carybé da Bahia, acontece desta quinta até 28 de outubro. O Museu da Misericórdia funciona de terça-feira a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, aos sábados, das 9h às 17h, e domingos e feriados, das 12h às 17h. Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).

Paixão pelo Brasil e Bahia

Hector Julio Páride Bernabó, argentino de Buenos Aires, ganhou o pseudônimo artístico Carybé quando morou no Rio de Janeiro e foi escoteiro na Tropa dos Peixes do Clube de Regatas do Flamengo.

Foto: Divulgação

Carybé veio à Bahia pela primeira vez em 1938, quando trabalhava como correspondente do jornal argentino El Pregón. Esse primeiro contato já o encantou e, 12 anos depois, voltou à capital baiana com recomendação do amigo escritor Rubem Braga, apresentando-se a Anísio Teixeira, então Secretário de Educação do Estado da Bahia. O cenário local passava por uma efervescência cultural e foi nele que Carybé pôde florescer enquanto artista, captando cores, formas, movimentos, personagens da rua, do cotidiano e do jeito de ser baiano.

Em 1957, Carybé se naturalizou brasileiro. Sua carreira foi marcada pela pluralidade: ele atuou como desenhista, pintor, ceramista, jornalista, gravador, escultor, muralista e ilustrador de publicações de escritores renomados, como Jorge Amado e Gabriel García Marquez. Carybé faleceu em 1997 em Salvador, aos 86 anos, vítima de um ataque cardíaco.

Sobre o Museu da Misericórdia

Instalado no local que abrigou o primeiro hospital da Bahia e a sede administrativa da Santa Casa da Bahia, em prédio erguido no século XVII e tombado pelo IPHAN em 1938, o Museu da Misericórdia é um dos mais importantes espaços culturais do Estado e possui em seu acervo obras que contam parte da história da Bahia e do Brasil. Pertencente à Santa Casa da Bahia, o museu também tem em seu espaço a Igreja da Misericórdia, um dos mais significativos monumentos religiosos de Salvador, considerada uma grande representante dos estilos barroco, neoclássico e rococó. O Museu da Misericórdia tem o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Serviço
O que:
exposição Hector Bernabó, o Carybé da Bahia
Quando: 27 de setembro a 28 de outubro.
Funcionamento: terça-feira a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, aos sábados, das 9h às 17h, e domingos e feriados, das 12h às 17h
Onde: Museu da Miserircórdia - R. da Misericórdia, nº 6, Centro Histórico de Salvador
Quanto: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).