Saúde

Aborto de repetição atinge 5% das mulheres e especialista dá 5 dicas para a pré-gravidez

Problema que ocorre quando uma mulher grávida tem duas ou mais gestações interrompidas, sejam elas consecutivas ou não

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um dos maiores pesadelos de um casal que está à espera de seu bebê é um caso de aborto. Embora muita gente não saiba, a chance natural de uma mulher abortar é relativamente alta, em torno de 20%. Mas o que chama atenção dos médicos é o "aborto de repetição". Essa recorrência preocupa, precisa ser investigada e hoje atinge até 5% das mulheres grávidas.

"Embora seja possível acontecer em 1 a cada 5 mulheres, abortar não é algo que possa ser considerado normal. Se ocorreu, algo pode estar errado. É claro que cada organismo reage de uma forma ao processo de gestação e inúmeros fatores devem ser levados em consideração. Mas ao sofrer um aborto, a mulher precisa já ligar o alerta e investigar", explica a médica do IVI Salvador, Dra. Isa Rocha.



O "Aborto de repetição" é um problema que ocorre quando uma mulher grávida tem duas ou mais gestações interrompidas, sejam elas consecutivas ou não. Isso considerando que a perda aconteça durante as 20 primeiras semanas da gravidez.

"Quando isso se verifica, é recomendado começar uma investigação mais séria junto aos médicos, para entender o que o está motivando", ressalta a especialista. 

As causas que levam ao aborto de repetição podem ser diversas e demandam a atenção do casal. Assim que se constata é interessante que se faça uma avaliação conjunta. Exames ginecológicos e também genéticos são fundamentais. Realizar uma análise do histórico familiar pode ajudar a explicar o problema. E os homens também devem passar por avaliação, realizar exames e traçar a história da família.

Os tipos de tratamentos são distintos, de acordo com o que o esteja motivando. Mas é importante ressaltar que o casal mantenha hábitos de vida mais saudáveis e equilibre a alimentação, com uma dieta balanceada.

Esses são fatores básicos e fundamentais para ter mais sucesso na gestação e pensando nisso, o iBahia selecionou, com a Dra. Isa Rocha, 5 dicas para você executar antes mesmo de engravidar para prevenir situações mais graves, como o aborto. Confira:

  1. Perda de Peso: obesidade está associado a maior risco de aborto e menores taxas de gravidez. 
  2. Corte o cigarro: tabaco e gravidez não combinam e pode ser causa isolada de abortamento 
  3. Faça uso de vitaminas: Alguns compostos como o ácido fólico e as vitaminas do complexo B podem reduzir chances de perdas. Orientadas pelo médico, há benefícios no seu uso.
  4. Planejamento familiar: a idade da mulher é o principal fator de risco de abortamento. Principalmente após os 35 anos. Cabe a paciente conversar com seu ginecologista para planejarem o seu futuro reprodutivo. E até mesmo congelar seus óvulos se não tem intenção de e gravidar antes dessa idade.
  5. Controle de sua saúde: mulheres com comorbidades como diabetes e hipertensão tem maiores chances de perda. Bem como problemas em tireoide entre outros. Cabe a paciente sempre buscar o melhor controle possível dessas comorbidades antes se gestar.