Saúde

Acupuntura pode ajudar no tratamento do câncer e outras doenças; entenda

Técnica pode trazer alívio dos efeitos colaterais e diminuir o estresse

Revista ABM
- Atualizada em

A acupuntura, assim como o reiki e a yoga, é alvo de estudos para verificar os benefícios que pode oferecer aos pacientes que enfrentam o câncer. De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), essas terapias complementares podem trazer alívio dos efeitos colaterais e diminuir o estresse de um período tão difícil.

A dor é um sintoma angustiante experimentado por mais de 70% dos pacientes, e o uso constante em analgésicos e efeitos adversos de intervenções farmacológicas apresentam desafios críticos para o controle da dor. E o papel da acupuntura é de ser um reforço nesse controle, seja na dor pós-operatória, pós-quimioterapia ou pós-radioterapia.

Foto: Revista ABM

De acordo com o médico acupunturista Walter Viterbo, presidente do Colégio Médico de Acupuntura - Secção Bahia, além do controle da dor, a acupuntura auxilia em outros sintomas do paciente com câncer.  “Pode ser utilizada como tratamento complementar dos efeitos colaterais, como náuseas, vômitos, alergias, rinite e asma, comuns para quem se submete à quimioterapia”.

Dr. Viterbo esclarece ainda que há evidências que acupuntura pode ajudar também na redução das doses de medicamentos para o controle da dor, e está associada ao uso reduzido de opióides quando adicionado à terapia analgésica. “Os estudos sugerem reduções significativas na intensidade da dor e no uso de opioides. Estamos falando de uma redução de cerca de 15% na sensação dolorosa. Além disso, as agulhadas diminuíram as doses diárias de morfina em 30 miligramas, de acordo com dois estudos incluídos na revisão”.

Nos Estados Unidos, organizações que tratam do câncer como a Society for Clinical Oncology e a National Comprehensive Cancer Network, incentivam a acupuntura, e outras intervenções não farmacológicas, para controlar a dor.

Outras doenças

A acupuntura é uma das técnicas de tratamento da medicina tradicional chinesa (MTC), que utiliza como ferramenta agulhas metálicas que são aplicadas na pele dos pacientes, em pontos estratégicos (os pontos de acupuntura) com o objetivo de melhorar a função dos órgãos, vísceras, glândulas, diminuir ou eliminar a dor, e trazer equilíbrio nas emoções.

É uma especialidade médica que segue as mesmas rotinas clínicas com a elaboração de anamnese, exame físico, e hipóteses diagnósticas para, só então, recomendar o tratamento adequado. “Imprescindíveis para se evitar o mascaramento de sinais com todas as consequências negativas que isso possa acarretar”, esclarece Dr. Viterbo.

Os estímulos nos pontos de acupuntura alcançam o sistema nervoso central e provocam um fenômeno de neuromodulação em três níveis: local, espinhal e supraespinhal, que é a liberação de substâncias modulando as funções motoras, sensoriais, autonômicas, neuroendócrinas e emocionais.

Assim, a acupuntura utiliza várias técnicas que podem ser usadas para reforçar o sistema imunológico, e para o tratamento de vários sintomas e problemas:

Origem músculo-esquelética: trauma, artrose, exercícios repetitivos, tensão emocional, erro de postura.