Saúde

Alerta para os amantes de sushi: chance de encontrar vermes no prato aumentou

Parasitas podem ser transmitidos para humanos que comem frutos do mar crus ou pouco cozidos

Redação iBahia (redacao@portaliabahia.com.br)

Se você gosta de comida japonesa, precisa ter mais atenção antes de consumi-la a partir de agora. Segundo uma pesquisa feita por pesquisadores da Universidade de Washington, a chance de encontrar vermes do gênero Anisakis nos peixes crus aumentou 283 vezes nos últimos 40 anos. A descoberta foi disponibilizada na publicação Global Change Biology. As informações são do portal UOL. 

Foto: Reprodução

Esses parasitas podem ser transmitidos para humanos que comem frutos do mar crus ou pouco cozidos e chegou a ganhar o apelido de "verme do sushi". , humanos e mamíferos marinhos são infectados quando comem um peixe que tem vermes. Há chance do parasita invadir a parede intestinal e causar sintomas que parecem com os de uma intoxicação alimentar, como diarreia, náusea e vômito. 

Segundo o UOL, especialistas dizem que, na maioria dos casos, o verme (que pode ser visto a olho nu) morre após alguns dias e os sintomas desaparecem. A doença causada por esse parasita é chamada de anisaquíase ou anisaquidose, porém é raramente diagnosticada porque boa parte das pessoas a confunde a situação com intoxicação alimentar. 

Os vermes entram nos peixe por conta da cadeia alimentar. Eles eclodem nos oceanos e são comidos por um crustáceo pequeno, que por sua vez são devorados por crustáceos de maior porte, como camarões e copépodes. Depois, peixes pequenos se alimentam desses crustáceos infectados e acabam sendo contaminados. Com isso, chegam até os humanos e mamíferos marinhos, como golfinhos e baleias. 

Ainda de acordo com UOL, uma das autoras da pesquisa e professora assistente na Escola de Ciências Aquáticas e da Pesca da Universidade de Washington, contou que quem trabalha no preparo de peixes para consumo humano geralmente é treinado para identificar os vermes nos alimentos e selecioná-los antes que eles cheguem aos clientes, mas alguns podem passar. Os Anisakis podem ter até dois centímetros de comprimento. 

A pesquisadora disse ainda que, no caso dos humanos, não há motivos para preocupação e que ela mesma come sushi regularmente. Mas alerta: se você não suporta a ideia de pensar que um monte de vermes vai invadir o seu organismo após comer um sushi, é recomendável usar uma faca em vez de hashi, cortar o sushi ao meio e procurar por vermes antes de ingerir o alimento. 

"Este estudo aproveita o poder de muitos trabalhos juntos para mostrar uma imagem global de mudança em um período de quase quatro décadas. É interessante porque mostra como os riscos para seres humanos e mamíferos marinhos vêm mudando ao longo do tempo", disse Wood.