Saúde

Anvisa proíbe venda de 279 produtos de empresa de suplemento alimentar

Os produtos são alimentos vendidos geralmente em pó ou cápsulas e não possuíam registro junto ao orgão responsável

Agência O Globo
- Atualizada em

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento e a proibição de venda de 279 produtos de suplemento alimentar da empresa Nutrigold do Brasil. A decisão foi publicada, nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União (DOU).

A medida ocorre em razão de inspeção conjunta entre Anvisa, Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo (CVS/SP) e Vigilância Sanitária do Município de Jacareí, em São Paulo. Segundo o órgão nacional, durante a vistoria, que ocorreu entre 7 e 11 de novembro, ficou constatada a ausência de comprovação do registro de suplementos em cápsulas e comprimidos, classificados como novos alimentos.

Ainda de acordo com a Anvisa, uma resolução já havia determinado a suspensão da fabricação, distribuição, divulgação e comercialização de medicamentos desta empresa. No entanto, foi constatado o descumprimento da norma por parte da empresa em razão da comercialização de produtos com ingredientes como GABA (ácido gama-aminobutírico), Tribulus terrestris, Garcinia cambodja, Mulungu, Ginseng, entre outros.

Os produtos são alimentos vendidos geralmente em pó ou cápsulas e não possuíam registro junto à Anvisa. Segundo a agência, alimentos não podem ser vendidos com a promessa de algum efeito específico para a saúde. Registros desse tipo são reservados a medicamentos que tenham a eficácia e a segurança comprovadas.

A CVS/SP e a Vigilância Sanitária de Jacareí (SP) acompanharão a empresa para garantir que as determinações sejam cumpridas.

Procurada, a empresa Nutrigold do Brasil ainda não se pronunciou.