Saúde

Bahia: Paciente internado com suspeita de coronavírus está com H1N1

Informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) nesta quarta-feira (29)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O homem que está internado hospital Couto Maia desde terça-feira (28) sob suspeita de infecção de coronavírus foi diagnosticado por H1N1 nesta quarta-feira (29). A informação  foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Inicialmente, a Sesab avaliou que o homem não preenchia os critérios para se enquadrar como caso suspeito de infecção pelo coronavírus. O paciente possui com histórico de viagem pelo Japão com escala nos Estados Unidos e possuía um  quadro de infecção respiratória.

Ainda segundo a Sesab, todas as medidas habituais de isolamento para casos suspeitos de infecção por vírus do grupo influenza (H1N1, H3N2, Influenza B) estão sendo tomadas. Apenas no ano de 2019 foram confirmados na Bahia 1.821 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por vírus respiratórios, com 132 óbitos. Toda a rotina laboratorial para diagnóstico de casos semelhantes está sendo conduzida pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA).


O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
Manter os ambientes bem ventilados;
Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).