Saúde

Benefícios e orientações: tudo que você precisa saber sobre a dieta low carb

De acordo com a nutricionista e terapeuta Tâmara Ferreira, a dieta low carb vale a pena e é segura, desde que prescrita por profissionais capacitados

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A base principal da dieta low carb é o uso racional dos carboidratos, com o aumento do consumo de gorduras boas e alimentos ricos em proteína. A dieta é especialmente indicada para tratamento da obesidade e diabetes, mas também para hipertensão, doenças cardíacas, redução de gordura abdominal, colesterol alto e triglicérideos alto.

De acordo com a nutricionista e terapeuta Tâmara Ferreira, a dieta low carb vale a pena e é segura, desde que prescrita por profissionais capacitados. “Na literatura científica há diversos artigos e publicações que mostram a segurança dessa dieta, mas é importante que seja acompanhada por um endócrino ou nutricionista para o organismo não ter reação adversa”.

Quando se corta o carboidrato sem a devida orientação e acompanhamento, o organismo pode reagir mal e alguns sintomas indicam isso: cansaço físico e mental, queda de energia e rendimento, esquecimento, deficiência de minerais e vitaminas, tremores, dores no corpo, queda do sistema imunológico e viroses. A orientação do Ministério da Saúde é que essa dieta, ou qualquer outra que corte carboidrato, deve ser cuidadosa e devidamente prescrita e acompanhada.

Foto: reprodução / Revista ABM

Os benefícios da dieta

• Reduz gordura corporal

• Melhora os níveis do açúcar do sangue

• Reduz inflamação das células de gordura

• Promove saciedade

• Estimula a biogênese mitocondrial

• Promove desempenho físico com aumento do consumo de fitoquímicos, proteína e gorduras boas

• Aumenta massa muscular

O que não é permitido

Como em qualquer dieta saudável, deve-se evitar o consumo (ou o excesso) de doces, refrigerante, salgadinhos de pacote, biscoitos recheados, pão branco, fritura, açúcar branco, margarina, sucos concentrados de caixinha, adoçante de aspartame, ciclamato, sacarina e assesulfame k, e iogurte açucarado. A farinha de trigo branca deve ser substituída por farinha de trigo integral, farinha de aveia, farinha de amêndoas ou outras farinhas de baixo índice glicêmico. “Não existe alimento proibido na dieta low carb. O que existe é o uso racional dos carboidratos”, reforça a nutricionista.

O que priorizar

Aumentar o consumo de gorduras boas: abacate, castanhas, nozes, macadâmia, azeite de oliva extravirgem, óleo de semente de abóbora, óleo de abacate.

Aumentar o consumo de alimentos ricos em proteína: ovos, iogurte natural, frango, carne, cogumelos e peixes.

Carboidratos permitidos: aipim, banana da terra, batata doce, cuscuz, inhame, inhaminho e pão integral.

Outros alimentos liberados: folhosos verdes escuros, legumes, chás, limão, feijão, grão de bico, coco, óleo de coco, chia, linhaça, kiwi, goiaba, maracujá dentre outras frutas e alimentos que o nutricionista vai indicar.

Duração da dieta

A nutricionista explica que a dieta deve durar de 4 a 8 semanas, como parte de um ciclo de estratégias nutricionais para emagrecer. “Não pode ser utilizado de forma permanente, do contrário o corpo pode chegar em um platô que não vai mais conseguir resultados efetivos”, alerta ela.


Contraindicações

Sugestão de cardápio


Café da manhã 

Goiaba com 1 col de sopa de farelo de aveia + ovo mexido e espinafre refogado no azeite de oliva extravirgem

Lanche

Iogurte natural + abacate

Ou castanha + nozes 

Almoço

Salada (opções: agrião, brócolis, berinjela, abobrinha, cenoura, tomate) com azeite de oliva extravirgem + semente de gergelim + proteína (carne, peixe ou frango) + feijão

Ou quinua, ou grão de bico 

Jantar

Legumes (brócolis, abobrinha, chuchu) + proteína (carne, peixe ou frango) + inhame ou batata doce.

Ou sopa de legumes com frango, ou omelete com rúcula e tomate