Saúde

Carboidratos, doenças cardíacas e mortes: entenda como escapar dessa cilada

Pesquisa feita com pessoas dos cinco continentes mostra relação do carboidrato de má qualidade e doenças cardiovasculares

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Você sabia que uma dieta rica em carboidratos de má qualidade aumenta o risco de ataques cardíacos e derrames? Um estudo global feito com habitantes dos cinco continentes confirmou essa realidade que causa inclusive mortes.  

O levantamento constatou que os riscos de uma dieta glicêmica elevada, ou seja, uma dieta com muito açúcar, foram semelhantes às pessoas que tinham ou não doenças cardiovasculares anteriores. 

O estudo publicado no New England Journal of Medicine é o maior já registrado. Ele engloba uma população geograficamente diversificada, enquanto estudos anteriores se concentraram principalmente em países ocidentais de alta renda. 

  • O estudo 

Um total de 137.851 pessoas, de 35 a 70 anos, foram acompanhadas por uma média de 9,5 anos pelo estudo Population Urban and Rural Epidemiology (PURE), realizado pelo Population Health Research Institute (PHRI), da Universidade McMaster e Hamilton Health Sciences. No Brasil, o estudo é coordenado pelo Prof. Dr. Álvaro Avezum, diretor do Centro Internacional de Pesquisa do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. 

Para obter as informações do estudo, foram feitos questionários alimentares para medir a ingestão a longo prazo dos participantes. Foram registrados 8.780 óbitos e 8.252 eventos cardiovasculares de grande porte entre os participantes durante o período de seguimento. 

Os pesquisadores categorizaram a ingestão de carboidratos pelos tipos que aumentaram mais os níveis de açúcar no sangue e compararam esse índice com a ocorrência de doenças cardiovasculares ou morte. 

  • Os resultados 

O grupo que tinha uma dieta com índice glicêmico (nível de açúcar)  20% mais alto, eram 50% mais propensas a ter um evento cardiovascular, derrame ou morte se tivessem um problema cardíaco pré-existentes. Caso não tivessem uma condição pré-existente, ficavam 20% mais propensos a desenvolver. Esses riscos também foram maiores entre as pessoas obesas. 

De acordo com os especialistas envolvidos na pesquisa, o estudo indica que nem todos os alimentos ricos em carboidratos são iguais: carboidratos de baixa qualidade estão associados è redução do tempo de vida. 

Carboidratos de baixa qualidade x carboidratos de alta qualidade 

Dietas ricas em pão, arroz e batatas são dietas cheias de açúcar. Esses carboidratos são de baixa qualidade e, em excesso, podem contribui para problemas cardiovasculares. 

Enquanto isso, frutas, legumes, leguminosas, feijões e grãos integrais intactos tem baixo índice glicêmico e são aliadas de uma alimentação saudável. Esses são os chamados carboidratos de alta qualidade.  

"O estudo feito com a população de todos os continentes, comprova que o consumo de grandes quantidades de carboidratos de baixa qualidade associado à redução de longevidade é um problema mundial. Estes achados permitem estabelermos políticas de saúde alimentar visando promoção de saúde e prevenção cardiovascular", explica o Dr. Alvaro Avezum, diretor do Centro Internacional de Pesquisa do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.