Saúde

Chás digestivos: saiba mais sobre os benefícios e os cuidados no consumo

“Em geral os chás tidos como digestivos aumentam o movimento do estômago e intestino, e por isso auxiliam na digestão”, explica o gastroenterologista Vinícius Nunes

Revista ABM

Os chás não servem apenas para esquentar o corpo e relaxar. Alguns podem trazer diversos benefícios para a saúde. E, embora cada tipo de chá tenha uma vantagem diferente, alguns possuem a mesma característica: são ótimos digestivos.

Isso significa que ajudam com a sensação de inchaço no organismo causado, muitas vezes, pela constipação ou má digestão por conta de alimentos consumidos de forma exagerada, ricos em gorduras, açúcar, ou preparados de maneira inadequada.

Alguns são termogênicos (aceleram o metabolismo) e por isso também podem auxiliar no processo de emagrecimento, enquanto outros podem ser diuréticos, ou terem efeitos laxantes.

“Em geral os chás tidos como digestivos aumentam o movimento do estômago e intestino, e por isso auxiliam na digestão”, explica o gastroenterologista e hepatologista Vinícius Nunes, responsável pelo ambulatório de hepatotoxicidade do Hospital das Clínicas em Salvador e especialista no assunto.
Foto: revista ABM

Mas tem que ter cuidado

O especialista enfatiza que existe um princípio ativo nos chás que pode, sim, ter benefícios, se for bem aplicado. Mas podem ocorrer efeitos colaterais, assim como acontece com os remédios comprados nas farmácias.

“Quase um terço de todos os casos de dano hepático do nosso ambulatório de referência no tema é por chás, fitoterápicos e similares. Acontece que os remédios tradicionais são estudados e prescritos em uma dosagem padrão, com seus efeitos colaterais bem estabelecidos, já os chás, não. Muitos acreditam que, por ser tipo “natural” são inofensivos. Mas não é bem assim”.

Dr. Vinícius alerta também que, em quase 30% das vezes, o chá que consumimos não é, realmente, aquele que pensamos que estamos consumindo. “Isso ocorre tanto nos chás a partir das folhas, que facilmente são catalogadas de maneira errada, como nos fitoterápicos industrializados ou formulados, em que alguns dos componentes frequentemente são omitidos”.

Outro alerta de cuidado é com o consumo em excesso, conforme explica a nutricionista e terapeuta nutricional Maristela Costa. “Apesar de "naturais" algumas ervas utilizada na preparação de chás, quando consumidas em grandes quantidades, podem causar desde insônia e náuseas a problemas nos rins, fígado e coração”.

Ela alerta que tomar mais de três xícaras por dia pode também causar alterações hormonais no corpo da mulher, podendo prejudicar até sua fertilidade.

O consumo correto são 100 ml três vezes ao dia - pela manhã, nos intervalos das refeições e a tarde. “Alguns chás, como os termogênicos, que são estimulantes, devem ser evitados a noite”, explica a nutricionista.

E tem mais: quem toma chá com intuito de diminuir o colesterol, por exemplo, ou emagrecer, tem que estar ciente que o consumo precisa estar associado a uma alimentação balanceada, atividade física regular e ingestão adequada de água. “Os chás não fazem efeito sozinho”, orienta a nutricionista.

Como preparar: colocar o chá assim que a água levantar fervura e desligar, tampar e aguardar de 10 a 15 minutos antes de servir.  
Foto: revista ABM
Alguns chás digestivos, seus benefícios e os cuidados

Hortelã -
não apenas ajuda a desinchar como também alivia dores de uma forma geral devido à ação vasodilatadora de suas folhas. Sem falar que possui propriedades que ajudam a relaxar os músculos, o que evita náuseas e cólicas. Também é considerado um ótimo diurético, sendo especialmente benéfico para quem sofre com problemas renais. Além disso, é um ingrediente muito utilizado na dieta detox, já que ajuda a eliminar as toxinas do corpo e contribui para o processo de emagrecimento.

Atenção: Use a hortelã normal. Dr. Vinícius alerta que tem um tipo de hortelã, conhecida como poejo ou hortelãzinha, que não é indicada por ser hepatotóxico.

Boldo - tem fama de ser um bom fitoterápico pelo fato de ajudar na digestão de gorduras e no processo de emagrecimento. Possui propriedades medicinais, sendo um ótimo anti-inflamatório. Também é indicado para quem está com resfriado.

Atenção: Devido à boldina, o princípio ativo do boldo, esse chá pode gerar problemas no fígado e não deve ser consumido de forma exagerada, e deve ser evitado por gestantes pelo seu efeito abortivo.

Erva doce -  no grupo das plantas digestivas, é uma das mais suaves, e pode ser combinada com cominho e anis. “Não hesite em experimentá-la se for a primeira vez que você sofre de indigestão”, indica Maristela. É usado como ingrediente culinário, mas também pode ajudar a melhorar a digestão e diminui o inchaço da barriga ao expulsar gases. Também é indicado para tratar cólicas e transtornos gastrointestinais, ao mesmo tempo em que aumenta a sensação de saciedade.

Camomila com anis - é antiespasmódica e anti-inflamatória, que serve para acalmar a dor de estômago, reduzir a sensação de inchaço e expulsar os gases. É uma planta calmante e funciona bem quando a indigestão é causada por algum estresse ou ansiedade, além de ser muito saborosa!

Hibisco -  é fonte de vitamina C, além de ajudar a regular a microbiota intestinal e desinchar o corpo. É um poderoso antioxidante, e, portanto, ajuda a combater o excesso de radicais livres. Devido às antocianinas encontradas em seu composto também atua na redução da pressão arterial. Além disso, possui ácidos orgânicos, vitaminas e minerais que ajudam a prevenir o estresse oxidativo das células, ajudando no controle das doenças cardiovasculares.

A nutricionista explica que um dos benefícios mais conhecidos do chá de hibisco é contribuir para o emagrecimento “Algumas pesquisas indicam que o chá foi capaz de reduzir a criação de células de gordura, ou seja, evita o acúmulo de gordura no corpo. Ao diminuir este processo, o chá de hibisco contribui para que menos gordura fique acumulada na região do abdômen e nos quadris”. A vitamina C também ajuda na absorção de ferro pelo organismo, o que aumenta o metabolismo do corpo e auxilia quem pratica exercícios físicos.

Segundo a nutricionista, o hibisco também bloqueia a produção de amilase, uma enzima que transforma o amido em açúcar. “Mas, lembrando que para ser efetivo na redução de peso, é importante vincular o consumo do chá a uma reeducação alimentar, à ingestão de dois litros agua por dia e atividade física”, orienta Maristela.

Atenção: Embora não tenha na literatura médica relatos de muitos casos relacionados ao hibisco, Dr. Vinícius alerta que a análise da folha (ou flor) encontrou substâncias com potencial hepatotóxico.



Chá verde ou chá branco – possui propriedades antioxidantes e atua como diurético, além de ser muito indicado para quem precisa queimar calorias, já que acelera o metabolismo. Além disso, reduz os níveis de colesterol ruim (LDL), sendo, portanto, um ótimo aliado do coração. Por ser termogênico auxilia no processo de emagrecimento. O chá branco é ótimo para melhorar o humor.

Atenção: É preciso ter muito cuidado tanto com chá verde quanto com o chá branco (ambos da folha Camellia Sinensis). De acordo com Dr. Vinícius, são os principais responsáveis pelos casos de hepatoxicidade por chá em todo o mundo – causado pelo excesso de consumo em forma de chá ou efeitos colaterais pela ingestão da cápsula. “É muito perigoso para o fígado”, alerta o especialista. E também não é indicado para quem tem pressão alta, pois aumenta o fluxo sanguíneo e acelera os batimentos cardíacos.

Chá de gengibre – devido aos seus inúmeros benefícios é recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Para fazer o chá é só cortar a raiz em pedaços (com casca e tudo) e deixar ferver na água. A recomendação da OMS é consumir o chá antes das refeições, especialmente devido ao seu fator digestivo.

Outros benefícios do chá: ajuda a aliviar cólicas e náuseas, comuns em mulheres grávidas; por ser rico em vitamina C é muito utilizado no combate a resfriados; ajuda na perda de peso, acelerando o metabolismo; relaxa o sistema gastrointestinal, prevenindo náuseas e vômitos. Além disso, o gengibre também atua como antioxidante e anti-inflamatório, ajudando na prevenção de doenças como câncer cólon-retal e úlceras no estômago.

Atenção: Maristela alerta que o gengibre deve ser consumido com orientação do fitoterapeuta ou do nutricionista, pois o consumo em quantidade excessiva pode resultar em hipoglicemia em pessoas diabéticas, ou hipotensão em hipertensos. Além disso, não é indicado para quem faz uso de medicamentos para afinar o sangue, pois pode potencializar o efeito do remédio e causar mal-estar e sangramento. E gestantes só devem consumir com orientação médica.

Canela - Além de ser muito utilizada como tempero no preparo de alimentos, a canela também é o ingrediente perfeito para o chá. Isso porque além de ter propriedades antibacterianas, e, portanto, ajudar a evitar doenças, é bom para o coração. A canela também é indicada para o controle da diabetes e prevenção do câncer. Além disso, ajuda na amamentação ao facilitar a produção e saída do leite materno. Por fim, é um bom diurético e anticoagulante. “Muito bom para diminuir a absorção da glicose”, explica Maristela.