Saúde

Chocolate faz mal à saúde dos pets, afirma médica veterinária

O doce contém um componente que é tóxico para os animais

Carmen Vasconcelos (carmen.vasconcelos@redebahia.com.br)
- Atualizada em

A Páscoa já passou, mas o consumo de chocolates ocorre durante todo ano e nessas horas muitos cedem aos olhinhos pidões que não aguentam ouvir um barulho de embalagem sendo aberta, que já correm para garantir seu pedaço. O problema é quando o assunto reúne pets e chocolates, a coisa assume contornos muito sérios.


De acordo com a médica veterinária Bárbara Benitez, cães e gatos não podem consumir chocolate, porque esse alimento contém teobromina, um componente que é muito tóxico para esses animais. “Mesmo em pequenas quantidades o chocolate, que é delicioso para nós, pode ser muito prejudicial aos pets”, esclarece. A médica ressalta ainda que o ideal é que cães e gatos não consumam alimentos que tenha adição de açúcar. “O ideal é que consumam apenas o açúcar proveniente de fontes naturais, como a cenoura, batata-doce e frutas como mamão, maçã”, ensina, lembrando que a quantidade desses alimentos, deve ser balanceada. “O tutor deve sempre ter acompanhamento veterinário, conforme peso e atividade do cão, esse especialista vai indicar as quantidades corretas de cada alimento”, pontua.


Para quem insiste em achar que um pedacinho não fará mal, vale destacar que a teobromina que é o principal componente tóxico do chocolate age no sistema nervoso central, podendo causar constrição de alguns vasos sanguíneos, diurese e até taquicardia. “Então, ingerir o chocolate o cão ou gatinho pode ter desidratação, arritmia cardíaca e hipertensão arterial, por exemplo”, explica a veterinária. Quanto mais cacau o produto tiver, mas tóxico será para o animal. “Então, por exemplo, cacau em pó, chocolate amargo ou meio-amargo são muito mais tóxicos do que os chocolates ao leite e chocolate branco”, diz.

Foto:Divulgação

Se o seu bichinho de estimação conseguir sequestrar alguma porção de chocolate, o ideal é levá-lo direto ao veterinário, especialmente se não houver certeza da quantidade que foi ingerida. A exceção é feita apenas para os chocolates específicos para os cães, que são seguros, mas exige que o tutor se atente ao teor de açúcar de snacks desse tipo.No caso dos gatos, é importante lembrar que, segundo uma publicação da revista Scientific American, os felinos não se interessam por doces. Para os cientistas, a causa seria um gene.  “Os felinos, inclusive leões e tigres, não têm uma parte do DNA que existe no gene Tas1r2, o qual é responsável por gerar proteínas que formam os receptores de doces (localizados na língua dos gatos). Por isso, os felinos são percebem o sabor doce como humanos e outros mamíferos”, finaliza Bárbara.

Correio24horas