Saúde

Confira: cuidados com a pele do rosto ao usar máscara de proteção

Deve-se evitar a maquiagem, pois é um produto que requer certo manuseio para sua retirada

Redação Dino

O uso de máscaras de proteção tornou-se obrigatório para conter o avanço da pandemia pelo novo coronavírus, mas o seu uso contínuo exige cuidados com a pele do rosto. O uso diário sem uma boa higienização, pode causar problemas na pele, como marcas, infecções, alergias, entre outros. Para evitar tais problemas, o dermatologista Cristiano Kakihara, dá abaixo algumas dicas de como manter a pele do rosto saudável com cuidados simples.

1. O tipo de tecido: de forma geral, as máscaras, sejam cirúrgicas N95, ou de tecido "pano", não costumam irritar a pele. O índice de pessoas que experimenta algum efeito indesejado do uso é baixo.

2. Aumento de acne: o surgimento de acne ou piora da mesma pode ocorrer em função da retenção do sebo, que normalmente é expelido microscopicamente pelas glândulas sebáceas na superfície cutânea. Este material oleoso fica retido entre a pele e a máscara, e parte impregnará no tecido que compõe este equipamento de proteção individual (EPI). Não se sabe o quanto isto pode afetar a sua eficácia.

De forma semelhante, o suor acumulado pode exigir a troca do EPI. Pessoas com hiperidrose facial (suor excessivo na face) devem ficar atentas com isto. Por fim, irritação e vermelhidão são muito raramente observadas. Quando ocorrem, são oriundas da dermatite de contato, já que os tecidos são constituídos por possíveis alérgenos, que induzem uma resposta imunológica variável individualmente.

3. Pele ressecada e rosácea: a pele dificilmente fica mais ressecada com o uso de máscara, pois o conteúdo hídrico cutâneo não consegue ser perdido para o ambiente externo. Já a rosácea pode piorar em função do aumento de temperatura cutânea pelo abafamento gerado pelo acessório.

4. Hidratação extra: geralmente não há a necessidade do uso de hidratante facial antes da colocação da máscara; este cuidado deve ser orientado apenas para quem já tinha uma pele muito seca ou algum distúrbio facial que cause muita secura da pele, como a psoríase.

5. Protetor solar: o uso do protetor soltar é um cuidado diário. Já o uso embaixo da máscara, somente para quem tem câncer de pele ou algum distúrbio pigmentar, como vitiligo ou melasma.

6. Maquiagem: deve-se evitar a maquiagem, pois é um produto que requer certo manuseio para sua retirada e, neste momento, pode haver transmissão do vírus para os olhos, nariz e boca. Para retirar o protetor ou a maquiagem, é preciso delicadeza, com movimentos leves, a fim de evitar disseminação viral e irritação por atrito excessivo. Os produtos devem ser os mesmos que a pessoa está habituada a usar diariamente. No entanto, caso surja alguma alteração cutânea, o médico dermatologista deve ser informado e o paciente receber atendimento por meio de telemedicina.

Para o Dr. Cristiano lavar as mãos é essencial para manter a saúde em tempos de coronavírus. "Deve-se evitar levar as mãos ao rosto, olhos e boca, principalmente. Comer bem também é importante, não só para a saúde da pele. Seguir as orientações médicas e manter o isolamento é primordial para combatermos essa pandemia", conclui o especialista.