Saúde

Corpo e mente saudável: confira razões para fazer atividade física na terceira idade

De acordo com o médico, os benefícios da atividade física para a terceira idade vão além do ganho na capacidade funcional e redução de risco cardiovascular (AVC e Infarto)

Revista ABM

Pesquisas já publicadas revelam que qualquer tipo de exercício, seja leve ou moderado, tem impacto positivo na expectativa de vida, e que se exercitar pode aumentar em até cinco anos a expectativa de vida de um idoso. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda 150 minutos de exercícios moderados por semana, combinando resistência e aeróbicos. E esta orientação também é válida para a terceira idade.

“Praticar atividade física é tão importante, que em suas diretrizes de 2020, a OMS alertou que qualquer tempinho que se tenha para se exercitar, mesmo que não possa ser os 150 minutos recomendados, já faz diferença pois é melhor do que ficar parado”, revela o cardiologista Luiz Ritt, coordenador do Centro de Cardiologia do Exercício e gestor de Treinamento, Ensino e Pesquisa do Hospital Cárdio Pulmonar.

De acordo com o médico, os benefícios da atividade física para a terceira idade vão além do ganho na capacidade funcional e redução de risco cardiovascular (AVC e Infarto). “Existem também os ganhos neurológicos e motores, que impactam positivamente na redução de complicações, o que melhora muito a qualidade de vida”. O médico alerta ainda, que se exercitar também contribui para reduzir a fragilidade e, consequentemente, os riscos de queda.

Foto: reprodução / Revista ABM

Pandemia

Mesmo durante da pandemia da Covid-19, quando devemos evitar aglomeração e manter o distanciamento social, é importante não descuidar da atividade física. E para a terceira idade, justamente neste momento, é fundamental continuar, ou incluir a atividade física na rotina diária, conforme explica o professor de Educação Física e personal trainer, Tiago Jorge dos Santos. “Em uma época de restrições como esta que estamos vivendo, a prática de atividade física traz ganhos não apenas para a saúde física, mas mental”.

Para quem não tem acesso a um educador físico, ele sugere buscar as redes sociais, onde vários profissionais estão orientando como fazer exercícios em casa, de forma lúdica e fácil. E para quem frequenta academia, muitas estão fazendo aulas online. “Os benefícios para os idosos são muitos vastos. Existem vários mitos com relação ao exercício nessa faixa etária, mas, o importante é se movimentar e driblar o sedentarismo”, explica o personal trainer.

Avaliação médica e cuidados

Mas o personal alerta que pessoas com problemas cardiovasculares, ou que foram submetidas a procedimentos cirúrgicos, não devem realizar atividade física sem liberação do médico, uma vez que pode haver complicações durante o exercício. “É muito importante que os idosos busquem uma avaliação médica antes de iniciar a prática regular de atividade física”, recomenda.

Dr. Ritt esclarece que, em geral, exercícios de leve intensidade não trazem riscos, porém se o desejo é fazer exercícios mais intensos, ele alerta que é necessário, sim, uma avaliação médica antes, e é preciso muito cuidado com o tipo de atividade física, para não ter risco de lesões ortopédicas, por exemplo.

Como cardiologista, ele sugere que o idoso inicie a atividade física de forma leve, guiada pelo nível de cansaço 4-5, em uma escala de 0 a 10, e vá aumentando essa carga após ter feito a avaliação. “Costumo dizer que o risco de ficar sedentário é maior do que o risco cardiovascular de uma atividade física leve a moderada! Como profissionais de saúde precisamos estimular a atividade física em toda oportunidade de contato que temos com os pacientes e evitar as barreiras para um estilo de vida saudável”.

Foto: reprodução / Revista ABM

As atividades físicas recomendadas

Tiago Jorge explica que caminhada, natação, hidroginástica e musculação são alguns dos exercícios mais indicados para os idosos por se tratar de atividades com baixo grau de impacto para as articulações. “É importante que sejam praticadas pelo menos 3 vezes por semana, após liberação do médico, e sob a orientação de um profissional de educação física para que o exercício seja realizado corretamente, prevenindo riscos de lesões, e na frequência cardíaca adequada ao condicionamento", explica o personal trainer.

 Os benefícios para a terceira idade

  • Impacta na redução da progressão e na incidência da osteoporose
  • Contribui para reduzir a progressão e incidência da doença de Alzheimer
  • Traz ganho em equilíbrio
  • Promove a sensação de bem-estar
  • Fortalece os ossos
  • Melhora o sistema imune
  • Fortalece os músculos, ajudando a caminhar melhor
  • Além da osteoporose, preveni outras doenças, como depressão e diabetes

Ganho emocional

Tanto na terceira idade, como em qualquer outra fase da vida, os benefícios no aspecto emocional são importantes: