Saúde

De formato a tempo de crescimento: dez fatos que você não sabe sobre o pênis

Disfunção erétil deve ser vista como um sinal de alerta

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A vida sexual continua sendo marcada por vários mitos e dúvidas, principalmente quando o assunto é o funcionamento do pênis. É importante ter pênis grande? O órgão sexual masculino cresce até quando? Tem perigo ter disfunção erétil? O urologista Valter Javaroni respondeu esses e outros questionamentos para o site Minha Vida. Confira:

Foto: reprodução
1- Disfunção erétil pode ser um sinal de doença?
Sim, pode indicar risco de doença cardíaca. De acordo com Valter Javaroni, a ereção do pênis depende de uma boa circulação do sangue. Em casos de falhas constantes, pode ter relação com aterosclerose (entupimento dos vasos sanguíneos) e placas de gordura (ateromas) em outras artérias, inclusive naquelas que nutrem o coração, as coronárias.

2- Pênis quebra?
O órgão sexual masculino pode fraturar. Isso acontece quando um trauma significativo provoca a ruptura da camada que reveste os corpos cavernosos. Como identificar se fraturou? Normalmente, acontece um estalo na hora, a ereção cessa imediatamente e se forma um grande hematoma no órgão.

3- Até quando o pênis cresce?
O urologista Valter Javaroni explicou ao Minha Vida que o pênis atinge seu comprimento máximo aos 18 anos de idade. Depois deste período, pode acontecer um engrossamento do membro até os 21 anos.

4- É mais trabalhoso manter o pênis flácido ou ereto?
Manter o pênis flácido dá trabalho. De acordo com o urologista, para que circule no pênis apenas a quantidade de sangue necessária para nutrir as células, o cérebro constantemente manda ordem para que os músculos que envolvem as artérias e a parede dos corpos cavernosos fiquem contraídos, limitando o fluxo de sangue.

Já quando ocorre a excitação sexual, o cérebro entende que deve preparar o membro para uma relação e a ordem passa a ser de relaxamento dos músculos e consequente dilatação dos vasos e espaços no interior dos corpos cavernosos.

5- O pênis pode assumir outros formatos durante a vida?
É possível que o pênis pode entortar como um cabo de guarda-chuva, isso é resultado da doença de  Peyronie, que consiste em um tipo de fibrose. A enfermidade acontece no corpo do pênis e provoca diferentes deformidades durante a ereção.

O aspecto torto é resultado da cicatrização dos pequenos traumas provocados pela doença (ferimentos na camada de revestimento dos corpos cavernosos). Em caso de cicatrização exagerada, é produzido um tecido fibrótico que limitaria a elasticidade de um dos cilindros e causaria a tortuosidade.



6- A ejaculação é sempre para frente?
Segundo Valter Javaroni, o sêmen é lançado em jatos para frente durante a ejaculação graças a um comando do cérebro que contrai e fecha a próstata, ao mesmo tempo em que bombeia a uretra posterior através da contração rítmica dos músculos que a envolvem (bulboesponjosos).

Para o jato ir para frente, a próstata precisa fechar a entrada da bexiga. Quando ela não se fecha totalmente, o sêmen vai para trás, ou seja, para dentro da bexiga.

7- Tamanho é documento?

O tamanho do pênis é apenas uma parte da sexualidade. Em entrevista ao Metrópoles, a  educadora sexual Karol Rabelo, 14 cm é mais do que suficiente. “O tamanho importa? Não necessariamente. Saber usar é mais importante. Claro que isso não leva em consideração homens que tenham o pênis atrofiado ou coisas do gênero. Mas, a partir dos 10 cm já uma boa medida”.

8- Dificuldade de ereção é falta de testosterona?
A testosterona não é um dos principais hormônios que participam da ereção do pênis. Estudos relatam que homens eunucos (sem testículos) conseguiam manter ereções e atividade sexual dentro do harem.

A testosterona tem mais relação com a libido e desenvolvimento das características sexuais masculinas.

9- Hábito de fumar pode prejudicar a qualidade da ereção?
A ereção depende de uma série de fatores envolvendo cérebro, nervos, circulação, hormônios, músculos e o próprio tecido erétil. Existem estudos que mostram que o tabagismo prejudica ações em todas essas partes do corpo citadas anteriormente.

10- Controle da ejaculação depende de treino?

Sim. No cérebro existem células especializadas que são estimuladas durante a excitação e, quando um determinado limiar é alcançado, acontece o fenômeno da ejaculação. Fisiologicamente, a ejaculação seria um reflexo, ou seja, algo involuntário (sem controle). Dessa forma, é normal que no início da vida sexual ela aconteça com rapidez e com o passar dos anos o homem aprenda a controlar o momento de ejacular.