Saúde

Dia da Saúde Bucal: pandemia altera rotina e dentista alerta para cuidados

Somente em 2020, houve uma queda de 30% na procura por consultas na iniciativa privada

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Cáries, aftas, gengivites, mau hálito e tártaro são os principais problemas bucais que podem ser desenvolvidos, quando não há a adequada higienização oral. Todos esses problemas, inclusive, podem ser potencializados quando o indivíduo também posterga a ida ao dentista, sobretudo em tempos de pandemia. Somente em 2020, por conta do medo do Novo Coronavírus, houve uma queda de 30% na procura por consultas na iniciativa privada, de acordo com pesquisa realizada pela Universidade Federal de Pelotas. Já na Rede Pública, ainda segundo o estudo, o índice chega a 80% de redução.

O cirurgião-dentista Leonardo Carvalho, que é sócio da Clínica Carvalho em Salvador, confirma o dado de 30%, mas pondera que já está havendo uma retomada no setor em 2021, sobretudo após o avanço da vacinação e adoção constante de medidas sanitárias. “No ano passado, muitas pessoas optaram por adiar as consultas com dentistas. Então, muitos problemas orais foram desencadeados por conta deste comportamento. Um sintoma inicial, que poderia ter sido tratado de imediato, se tornou um caso mais complexo. Podemos exemplificar com uma simples cárie evoluindo para um tratamento de canal”, ressalta Leonardo Carvalho.

Como hoje se comemora o Dia Nacional da Saúde Bucal (25), o especialista listou algumas dicas práticas que ajudam na resolução e prevenção das doenças. Confira abaixo:

  • É fundamental ir ao dentista a cada seis meses
  • Pratique a higienização diária e caseira: elimine a placa bacteriana por meio da escovação adequada pelo menos duas vezes ao dia
  • Use o fio dental após as refeições
  • Faça a limpeza da língua utilizando um raspador para retirar a saburra lingual
  • Utilize cremes dentais fluorados
  • Evite o excesso do açúcar, bebidas alcoólicas e fumo