Saúde

Dietas devem ser usadas apenas por um tempo, dizem especialistas

Indicação varia de acordo com individualidades do paciente; veja algumas mais populares

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Não é de hoje que as pessoas procuram dietas como a forma mais prática e supostamente eficiente para emagrecer. Especialistas explicam, no entanto, que elas fazem parte da estratégia e devem ser usadas por um determinado período de tempo.

“Caso seja feita de forma indiscriminada, além de trazer frustrações que podem desencadear quadros depressivos, há o perigo de desenvolvimento de uma relação perigosa com a comida, culminando em quadros de compulsão ou aversão, ambos preocupantes”, alerta o Dr. Lucas Costa Felicíssimo, médico da Medicina Integrativa.

Além disso, o regime precisa ser temporário. De forma tática, é preciso ir alternando estratégias para que os resultados não estagnem — o chamado efeito platô. “Dietas precisam ser usadas apenas em um determinado espaço de tempo. A partir do momento em que se chega ao objetivo, é hora de partir para a reeducação alimentar, que vai garantir todos os nutrientes necessários para que o corpo consiga manter o peso conquistado”, elucida a nutricionista Nathália Schnaack.

Os especialistas citam exemplos de dietas populares e os riscos em potencial que elas trazem para a saúde.

Jejum intermitente

Tendo delimitado um período de restrição que aceita apenas água, chás e café e outro onde é possível comer uma intensa variedade de alimentos, o jejum intermitente é uma estratégia mais clara para diminuir o número de calorias ingestas. Porém, essa modalidade pode não ser a mais apropriada para rotinas onde a pessoas gasta muitas calorias durante o período da manhã.  

“Quem acorda muito cedo ou se exercita pela manhã pode ter um processo de adaptação mais difícil. Porém, o que de fato provoca o emagrecimento no jejum intermitente é a restrição calórica que está associada a ele. Caso a pessoa delimite a quantidade de calorias ao longo do dia, diminuindo o volume de refeições de forma quem os nutrientes estejam em proporções adequadas, é possível atingir os mesmos resultados do jejum”, aponta Dr. Lucas.

Dieta cetogênica

Caracterizada por um corte radical de carboidratos, a dieta é baseada no consumo de gorduras, em geral carnes, no qual o corpo começa a retirar nutrientes apenas desse substrato. Desta forma, o organismo entra em um processo de produção de corpos cetônicos, moléculas que agem nos hormônios envolvidos no apetite, daí sua denominação.

“É uma estratégia bastante eficiente. Porém, o grande problema são as escapadas, pois como a dieta é baseada em grande parte por gorduras, a pessoa que pensa em comer, por exemplo, apenas uma sobremesa, que contém um valor energético alto, acaba comprometendo o processo dos corpos cetônicos, não obtendo resultados”, elucida a nutricionista.

Low carb

Disparada uma das mais praticadas, a dieta low carb também restringe o consumo de carboidratos, porém de forma menos radical que na cetogênica. Além de delimitar o consumo desse nutriente, a Low carb diz sobre a qualidade desse carboidrato, que deve vir preferencialmente de produtos integrais. “Essa dieta pode ser usada para hipertrofia, porém apenas se a quantidade de nutrientes for calculada de forma correta, visto que para o processo de ganho de massa magra é necessário comer mais para que o corpo tenha substratos para gerar músculos”, explica Lucas.