Saúde

Envelhecimento feminino: tire suas dúvidas e veja dicas para esta fase

Reposição hormonal é uma boa ideia? É verdade que uma boa alimentação pode ajudar? Especialistas dão as respostas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O corpo humano em constante mudança e cada fase da vida representa uma demanda e produz diversas necessidades. Quando uma mulher entra na menopausa (momento em que para de menstruar), algo que ocorre normalmente entre 45 e 55 anos, diversas mudanças vem à tona.

Foto: Reprodução
Ondas de calor, irritação, insônia, ressecamento vaginal, redução na libido e fadiga, são alguns dos sintomas que as mulheres costumam enfrentar neste período. Isto ocorre devido ao fato do corpo deixar de produzir os hormônios femininos, passando do estágio reprodutivo para o não reprodutivo.

A médica ginecologista e sócia da clínica Emeg, Ticiana Cabral e a médica especializada em medicina  integrativa e sócia do instituto Chronos, Juliana Hardman, tiraram algumas dúvidas sobre essa fase e deram algumas dicas de como enfrentá-la de uma forma mais amena.
 
1 - Quando começamos a envelhecer? (respondida por Juliana Hardman)

O processo de disfunção celular que leva ao envelhecimento se inicia entre os 18 e os 22 anos de idade. A partir daí, as células perdem gradativamente sua capacidade de se renovar de forma perfeita, e isso ocorre porque a telomerase, enzima presente nas células-tronco humanas, perde a capacidade de renovação celular. Mas este processo não está associado apenas ao tempo de vida cronológica mas sim aos hábitos de vida de cada um, e é por isso que podemos encontrar irmãos gêmeos univitelinos com estilos de vida diferentes que podem ter aparências diferentes, um mais jovem que o outro, e o mais jovem ter uma idade biológica melhor (seria o que chamamos de estado de conservação).

2 - Como se dá o envelhecimento feminino? Quando são sentidos os primeiros sinais? (respondida por Juliana Hardman)
O tempo passa para todos. Ao redor dos 40 anos de idade, a interação entre os hormônios se altera, o que leva, com o passar do tempo, à menopausa, caracterizada como o final do ciclo reprodutivo da mulher, que ocorre em torno dos 50 anos. Mas é no período do climatério (que compreende a menopausa), que um conjunto de sintomas surgem, causados pelas variações hormonais típicas e também pelo aumento do estresse oxidativo.

Os sintomas podem ser encontrados nas mulheres com maior ou menor frequência neste período são: calor excessivo, oscilações de humor (inclui ansiedade, depressão, irritabilidade excessiva e até mesmo diminuição da auto-estima), secura vaginal, diminuição da libido, ganho de peso e gordura abdominal, insônia, pele seca e cabelos mais finos e maior risco de doenças e complicações (doenças cardiovasculares e osteoporose).

3 - De que forma eles podem ser retardados?
(respondida por Juliana Hardman)
É importante lembrar que o envelhecimento afeta nossa biologia interna antes que apareça do lado de fora. Por isso, ter hábitos de vida saudáveis é a melhor maneira para resguardar o envelhecimento. Além disso, uso de suplementos como vitamina D, resveratrol, chá verde, entre outros, podem atuar nas telomerases de forma positiva.


4 - Quando uma mulher precisa começar a tomar reposição hormonal? (respondida por Ticiana Cabral)

A reposição hormonal deve ser iniciada assim que os sintomas da menopausa surgirem, tais como ondas de calor, indisposição, irritação, labilidade do humor, insônia, ressecamento vaginal, redução na libido e fadiga. Uma vez que os sintomas têm origem na diminuição fisiológica da produção hormonal, a reposição destes em baixas doses é o mais recomendado e pode ser feita com Hormônios sintéticos ou bioidênticos. O ideal é que o tratamento comece logo nos primeiros anos, principalmente nas pacientes sintomáticas.

Importante ressaltar que cada mulher demanda um tratamento individualizado, que irá atender suas particularidades, seu estilo de vida e condições físicas. Por exemplo, nos casos em que a ocorrência da menopausa é precoce, ou seja, antes dos 40 anos, é recomendável a reposição hormonal. Mas é preciso fazer uma análise dos sintomas relatados e, se não houver contraindicações, o tratamento será prescrito. Da mesma forma, a dose, o tempo de uso, a via de administração e os hormônios utilizados variam de acordo com avaliação médica criteriosa e com base nas expectativas e queixas da mulher.

5 - Como este medicamento melhora essa fase da vida? (respondida por Ticiana Cabral)
Além de aliviar os sintomas da menopausa, a terapia de reposição hormonal traz vantagens para a saúde da mulher, como o auxílio no tratamento da osteoporose, além de ser benéfica em caso de doenças cardiovasculares. A reposição estrogênica previne a perda de massa óssea, diminuindo, assim, o risco de fraturas. Ela também inibe a formação da placa de ateroma ao reduzir os níveis de colesterol total e da fração LDL, conhecido como o ‘colesterol ruim.

6 -  A reposição hormonal interfere na vida sexual da mulher? (respondida por Ticiana Cabral)
Sim. A reposição irá ajudar a melhorar a libido e recuperar a mucosa vaginal que encontra-se atrofiada e ressecada diminuindo as queixas de dor durante o ato sexual. A reposição vem para amenizar esses sintomas, tornar o ato sexual mais confortável e prazeroso, e até reduzir o risco de infecções vaginais.

Uma boa alternativa é combinar o tratamento de reposição hormonal com outros procedimentos, como o laser genital, que, além de potencializar a autoestima feminina, reduz problemas, como atrofia, falta de lubrificação e incontinência urinária. O laser genital é um procedimento não medicamentoso que permite que a paciente recupere a mucosa genital, melhorando algumas queixas na região. Ele é capaz de estimular a produção de colágeno da região íntima e deixar a pele mais hidratada, rejuvenescida e saudável.

7 - Há alguma contraindicação? (respondida por Ticiana Cabral)
Mulheres com contraindicação ao uso de hormônios, pacientes que já tiveram câncer de mama, câncer de endométrio, tromboembolismo agudo, hepatopatia agudas, cardiopatia grave e sangramento uterino sem causa diagnosticada.

8 - Como fazer da alimentação como aliada nos sintomas do envelhecimento? Quais são os alimentos mais indicados? (respondida por Juliana Hardman)
Para evitar o envelhecimento precoce, a alimentação deve ser a sua maior aliada: os alimentos antioxidantes, gorduras saudáveis, minerais, vitaminas e fitonutrientes ajudam a combater o envelhecimento.  Alimentos antioxidantes como fígado de boi, couve, brócolis, couve de bruxelas, alho, maça, chocolate amargo, batata-doce e os alimentos ricos em vitamina C e E. Chás antioxidantes como o chá verde é um ótimo aliado. Peixes gordos ricos em  omega-3 e vitamina D. De qualquer forma, é preciso focar de forma individual nas principais carências nutricionais para repor o que é o necessário por alimentação de preferencia e se nao for suficiente, através de suplementação indicada.

9 - E exercício físico? Quais são os mais indicados?
(respondida por Juliana Hardman)
Exercícios de força, equilíbrio, os que contribuem para flexibilidade e tonicidade do corpo ajudam neste processo, até porque com o envelhecimento precisamos nos atentar ao risco de sarcopenia (perda de massa muscular progressiva). Bons exemplos são: caminhada acompanhada de alongamentos, natação e/ou hidroginástica, musculação, yoga e pilates. O importante é que para o resultado do exercício ser eficaz, em qualquer idade, é necessário que as atividades escolhidas sejam realizadas de três a cinco vezes por semana, em pelo menos meia hora por dia de exercício. Hoje há excelentes profissionais que podem auxiliar a fim de respeitar os limites e características corporais de cada um. A modalidade de exercício físico que melhor se adapte é que deve ser a escolhida.