Saúde

Especialistas alertam mulheres a não usarem tabaco na vagina

Boato do uso da substância surgiu a partir de costume africano

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Os médicos precisaram desmentir mais um mito. Depois do alerta em relação ao uso de picolés na vagina e escovas de dente elétricas como vibrador, os especialistas emitiram novo pedido, dessa vez para as mulheres não usarem tabaco no órgão íntimo, o que faria aumentar o tesão, segundo boatos.

Em entrevista ao jornal inglês Daily Mail, o ginecologista Pascal Foumane, do Reino Unido, afirmou que o uso da substância na vagina pode causar úlceras e diminuir o canal e até fechá-lo para sempre. “Além disso, pode alterar o fluxo da menstruação”, disse o especialista ao jornal.

Foto: Reprodução/Getty Images

Para mulheres grávidas, o problema pode ser ainda maior, pois a substância pode gerar a falta de oxigenação do feto e levá-lo à morte. Os médicos ainda ressaltam que o aparelho vaginal não deve ter contato com nenhum tipo de comida ou especiaria.

A ideia do tabaco na vagina surgiu na África, onde a prática era feita como receita milagrosa para “mandar o homem ao céus”, de acordo com o jornal inglês.