Saúde

Falta de atenção e de exercícios cerebrais são as principais causas do esquecimento

Com múltiplas atividades sendo feitas ao mesmo tempo, a atenção fica dispersa e a memória retêm menos detalhes

Evelin Azevedo, da Agência O Globo
Memorizar alguma informação é uma atividade que parece ser mais difícil a cada dia que passa. Com múltiplas atividades sendo feitas ao mesmo tempo, a atenção fica dispersa e a memória retêm menos detalhes.
"A memória não funciona isoladamente, como uma caixinha na qual guardamos informações. Temos outras habilidades cognitivas que precisam trabalhar em conjunto para que a memória funcione de maneira plena. Se a atenção, por exemplo, estiver deficitária, não será possível fazer a memorização das informações de uma forma eficiente", explica Tathiana Tavares, diretora do Método Supera.
O cérebro pode ser visto como um músculo e, para mantê-lo ativo, é preciso exercitá-lo. Jogos que envolvam raciocínio lógico e estratégia como o xadrez e até videogames ajudam a deixar a massa cinzenta mais ativa.
"O treinamento cerebral pode ocorrer por meio de desafios com níveis de dificuldades cada vez maiores. Assim, os resultados aparece gradativamente", afirma Tathiana.
Além de cuidar da mente, é preciso cuidar do corpo para ter uma boa memória.
"Se a pessoa não dorme bem, o cérebro dela não vai conseguir fazer uma retenção adequada de memória. Se ela é uma pessoa que vive estressada, o corpo vai liberar determinadas substâncias que vão prejudicar a consolidação da memória. O envelhecimento é outro fator que aumenta a chance de falha de memória", comenta Vanessa Müller, neurologista e diretora médica da VTM Neurodiagnóstico.
Ter uma alimentação rica em substâncias como o magnésio, zinco, vitaminas do complexo B, dentre elas a colina, ajuda na saúde cerebral, já que são importantes na formação de neurotransmissores.

"A meditação aumenta o processo de neuroplasticidade que molda o cérebro. Na prática de atividades físicas, o organismo libera substâncias que ajudam a consolidar a memória, como a dopamina que é ligada à atenção", finaliza Vanessa.