Saúde

Google terá questionário para identificar depressão no público

Teste contará com nove perguntas sobre a saúde mental do internauta

Agência O Globo

Uma parceria entre o Google e a Aliança Nacional de Doenças Mentais dos Estados Unidos (Nami, na sigla em inglês) vai permitir que pesquisas sobre depressão no buscador tragam como resultado um questionário clinicamente validado, que pode ajudar a identificar níveis de sintomas depressivos. Segundo a instituição, o teste PHQ-9, disponível por enquanto apenas no território americano, pode ser o primeiro passo para a obtenção de um diagnóstico adequado.

"Esperamos que, ao disponibilizar esta informação no Google, mais pessoas tomem consciência da depressão e buscam tratamento para recuperar e melhorar sua qualidade de vida", afirmou Nami em um comunicado, nesta quarta-feira.

(Foto: Divulgação / Google e Aliança Nacional de Doenças Mentais dos Estados Unidos)

De acordo com a organização, a depressão clínica é uma condição muito comum. "Um em cada cinco americanos experimenta um episódio na vida", informa. O problema, ressaltado pela Nami, é que apenas cerca de 50% das pessoas que sofrem de depressão realmente recebem tratamento.

Segundo a Aliança de Doenças mentais, o objetivo da parceria é conscientizar as pessoas sobre a enfermidade. A busca pelo termo "depressão clínica" no Google utilizando o celular faz aparecer o já conhecido painel sobre a doença, além da recente opção, apenas nos Estados Unidos, de "verificar se você está clinicamente deprimido". Isso levará ao PHQ-9, que consiste em uma auto-avaliação privada de nove perguntas sobre a saúde mental do indivíduo.

"Embora essa ferramenta possa ajudar, é importante notar que o PHQ-9 não pretende ser uma ferramenta singular para o diagnóstico", frisa a Nami no anúncio do lançamento do questionário. As perguntas, contudo, contribuem na identificação de níveis de sintomas depressivos e a necessidade de uma avaliação com um profissional de saúde.

"A depressão clínica é uma condição tratável que pode afetar muitos aspectos da vida de uma pessoa. As estatísticas mostram que aqueles que apresentam sintomas de depressão experimentam uma média de atraso de 6 a 8 anos na obtenção de tratamento. Acreditamos que a consciência da depressão pode ajudar a capacitar e educar você, permitindo um acesso mais rápido ao tratamento", salientou a Aliança.