Saúde

Gordura em excesso pode servir como 'reservatório' para o Covid-19, diz pesquisa

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) analisaram que o tecido adiposo pode agravar o covid-19

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Como anda sua relação com a balança? É preciso ter cuidado com o excesso de peso, principalmente durante a pandemia do coronavírus. De acordo com um estudo brasileiro recente, pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) analisaram que o tecido adiposo pode agravar o covid-19

A equipe descobriu que as células de gordura servem como reservatório para o Sars-Cov-2, contribuindo para aumentar a carga viral de indivíduos obesos ou com sobrepeso. As descobertas dos cientistas brasileiros apresentam a hipótese de que, durante a infecção, as células de gordura liberam na corrente sanguínea substâncias que amplificam a reação inflamatória desencadeada pelo vírus no organismo.

“No caso da obesidade, a prática regular de atividades físicas ajuda a promover a redução de peso e das taxas de gordura. Além disso melhora a qualidade de vida, mantém a imunidade mais forte e, consequentemente, reduz o impacto de uma possível crise pelo coronavírus", explica Guilherme Reis, Coordenador Geral da Rede Alpha Fitness.  

Os pesquisadores debatem também como a nutrição do paciente pode influenciar na resposta à doença. Segundo a pesquisa, tanto a obesidade quanto a desnutrição podem comprometer o sistema imunológico e dificultar o combate a infecções virais. “É necessário manter um equilíbrio entre saúde, atividade física e alimentação. Ser obeso traz diversos prejuízos à saúde, mas ser magro e não manter uma alimentação alimentação saudável e nutritiva é tão ruim quanto”, conclui Guilherme.